Google promete revisão de políticas e contratações após perder anunciantes no Reino Unido

Por Kate Holton

LONDRES (Reuters) - O Google prometeu nesta terça-feira policiar melhor seus sites ao elevar o número de funcionários e revisar suas políticas após várias companhias virarem as costas para a gigante de tecnologia, depois que anúncios apareceram em vídeos ofensivos.

Nos últimos dias, o Google esteve no centro de turbulências no Reino Unido, após grandes empresas, incluindo bancos e grupos de varejo, retirarem seus anúncios do YouTube depois que os mesmos foram exibidos com vídeos carregando mensagens homofóbicas e antissemitas.

Na sexta-feira, o Google começou a revisar o problema. A gigante se desculpou na segunda-feira e disse nesta terça-feira que reformulou as políticas para dar aos anunciantes um maior controle sobre as campanhas.

A empresa, que teve dificuldades para monitorar as 400 horas de vídeos enviado ao YouTube a cada minuto, disse que vai contratar número significativo de novos funcionários e acelerar o processo de remoção de anúncios de conteúdo ofensivo que ataque pessoas com base em sua cor, religião ou gênero.

"Nós acreditamos que a combinação dessas novas políticas e controles vai reforçar significativamente nossa capacidade para ajudar os anunciantes a atingir audiências em escala, respeitando ao mesmo tempo seus valores", disse Philipp Schindler, diretor de negócios do Google, em um blog.

O Reino Unido é o maior mercado do Google fora dos Estados Unidos, gerando 7,8 bilhões de dólares principalmente com anúncios em 2016, ou quase 9 por cento da receita global da gigante de tecnologia.

(Por Kate Holton)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos