Agência de Segurança dos EUA suspende vigilância sem mandado de mensagens digitais

Por Dustin Volz

WASHINGTON (Reuters) - A Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA) suspendeu uma forma de vigilância que permitia coletar sem mandado as comunicações digitais de norte-americanos que mencionaram um alvo da inteligência estrangeira, afirmou nesta sexta-feira a agência de espionagem.

A decisão de parar a atividade uma vez secreta, que coletava mensagens enviadas ou recebidas de pessoas supostamente no exterior, é um triunfo inesperado para críticos do programa, que autoridades norte-americanas haviam defendido como dentro da lei e importante para segurança nacional.

A suspensão está entre as mudanças mais substanciais para a política de vigilância dos EUA em anos e acontece à medida que questões sobre privacidade digital continuam controversas no mundo todo após descobertas em 2013 de ampla atividade de espionagem da NSA pelo ex-agente da inteligência Edward Snowden.

"A NSA não irá mais coletar certas comunicações na internet que meramente mencionavam um alvo da inteligência estrangeira", informou a agência em comunicado. "Em vez disto, a NSA irá limitar a coleta a comunicações na internet enviadas diretamente para ou pelo alvo estrangeiro".

A NSA também informou que deletará a vasta maioria dos dados da internet coletados sob o programa de vigilância para proteger mais ainda a privacidade de comunicações pessoais dos EUA.

A decisão é um esforço para remediar questões de privacidade levantadas por regras adotadas em 2011 pelo Tribunal de Vigilância.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos