Lenovo volta ao lucro, mas escassez de bateria ameaça resultados

HONG KONG (Reuters) - A Lenovo, maior fabricante de computadores pessoais do mundo, voltou ao lucro, mas o aumento de preços de componentes pode pressionar seus resultados no ano diante da escassez de baterias no mercado.

O lucro da companhia chinesa atingiu 535 milhões de dólares no ano até março e a receita caiu 4 por cento.

O resultado veio em meio ao contínuo encolhimento do mercado de PCs desde o advento dos tablets. Segundo a empresa de pesquisa de mercado Gartner, as vendas de PCs no mundo caíram pelo décimo trimestre seguido entre janeiro e março, recuando abaixo das 63 milhões de unidades pela primeira vez desde 2007.

As vendas anuais da Lenovo caíram 1 por cento ante um recuo do mercado de 3 por cento. Com isso, a participação da empresa no mercado subiu 0,4 ponto percentual, para um recorde de 21,4 por cento. A receita na unidade de PCs e dispositivos móveis, que soma 70 por cento do total do grupo, caiu 2 por cento.

O presidente-executivo da companhia, Gianfranco Lanci, afirmou que a escassez de chips de memória deve continuar neste ano, principalmente para os drives de tipo SSD, o que deve elevar os custos.

"Estamos começando a ver escassez em baterias também", disse Lanci. "Isso ocorre principalmente porque os carros estão consumindo muito mais baterias que antes", afirmou o executivo.

Lanci afirmou que vai leva um ano para que os fornecedores de baterias alcancem a demanda e os preços se normalizem. Neste ano os preços subiram um dígito até agora.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos