Acordo de TV entre Amazon e Apple mostra caminho difícil em cooperação entre rivais

Por Jeffrey Dastin

SAN FRANCISCO (Reuters) - Um acordo trazendo o Amazon Prime Video para a Apple TV anunciado na segunda-feira na conferência da Apple após anos de conversa, mostra como as tensões competitivas entre os titãs do Vale do Silício podem representar obstáculos no atendimento a clientes.

A lógica de ligar a Apple TV, um dispositivo para assistir televisão pela internet, com o serviço de streaming de vídeo da Amazon.com parece óbvio.

A Apple precisa de um excelente vídeo para vender seu transmissor de TV. A Amazon precisa de lugares para transmitir seus programas de TV para que as pessoas se inscrevam para o clube Prime para vê-los. Os espectadores querem assistir seus programas favoritos em qualquer dispositivo que eles escolherem.

No entanto, o anúncio de segunda-feira, ao invés de ser rotineiro, foi o resultado de uma negociação que remonta a pelo menos 2015, quando a Amazon deixou de vender Apple TVs no seu site de varejo.

A Amazon explicou essa mudança dizendo que queria evitar confundir clientes que esperariam que o Prime Video estivesse em dispositivos vendidos pela Amazon. Os críticos viram, em vez disso, uma tática de negociação para obter o Prime Video no dispositivo da Apple, e um estímulo para as pessoas comprarem os dispositivos concorrentes Fire TV da Amazon.

"Sempre que essas empresas tentam dar um gelo uma nas outras, o consumidor sempre perde", disse Paul Verna, analista da empresa de pesquisa eMarketer.

A Amazon e a Apple recusaram-se a comentar sobre como suas diferenças afetaram os clientes. As empresas disseram que os programas da Amazon estarão disponíveis na Apple TV ainda neste ano, mas não especificaram uma data.

(

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos