Taxify espera atrair motoristas do Uber com maior parcela da tarifa

Por Eric Auchard e David Mardiste

TALLINN (Reuters) - A chave para o sucesso para prestadores de serviços como o Uber é manter motoristas felizes para que usem seus aplicativos, garantindo que haja carros suficientes para responder à demanda dos passageiros.

A iniciante estoniana Taxify espera conquistar os motoristas e rivalizar com o Uber, líder no setor, ao oferecer uma parcela maior do lucro. Concorrentes ao redor do mundo, como o Lyft e Ola, estão tentando rivalizar com o Uber no mercado de corridas compartilhadas ao garantir fidelidade à marca. Mas o Uber reuniu massa crítica e alcançou um valor de mais de 60 bilhões de libras em somente oito anos, apesar da falta de lucros. A empresa tem mantido rivais à distância, em parte ao oferecer incentivos para que motoristas fiquem online. O Taxify, pequeno comparado ao Uber, não pode das estas vantagens, mas acredita que ao receber uma parcela menor das corridas – 15 a 20 por cento comparado aos 20 a 25 por cento do Uber – pode roubar partes do mercado do rival. A empresa também espera que permitir que motoristas recebam em dinheiro, assim como em cartão de crédito, ajude a atrair mais passageiros. "Até o fim do ano, acho que seremos número 1 em cerca de 10 países na Europa e África”, disse o chefe-executivo Markus Villig à Reuters na sede do Taxify, na Estônia. Uma porta-voz do Uber se negou a comentar, mas a companhia informou que teve cerca de 20 bilhões de dólares em receitas de tarifas no ano passado.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos