Site chinês Weibo vai bloquear conteúdos em vídeo não aprovados

PEQUIM (Reuters) - O operador do principal site de microblogs chinês, Weibo, bloqueará vídeos com conteúdo não aprovado e trabalhará com a mídia estatal para promover ideias "convencionais", disse a empresa, após forte repreensão de reguladores do país na semana passada.

As autoridades chinesas lançaram uma ampla campanha para controlar a opinião política e formalizar mecanismos de vigilância online, reprimindo conteúdos, incluindo literatura, transmissões ao vivo, notícias e contas em redes sociais.

Na semana passada, o órgão regulador de mídia chinês ameaçou fechar o serviço de vídeo do Weibo além de outros dois serviços populares no país, o AcFUN e o iFeng.

Em declaração publicada em seu site na última quarta-feira, a Weibo disse que "aceitou sinceramente a crítica", e começaria imediatamente a trabalhar para remover contas de vídeos políticos, de mídia e de assuntos atuais em canais que não possuem licenças. A companhia afirmou que o conteúdo televisivo e cinematográfico sem licença, bem como os vídeos com mais de 15 minutos, serão removidos da plataforma.

A empresa acrescentou que fortalecerá a cooperação com os três principais meios de comunicação estatais da China e trabalhará para promover os veículos de mídia que representam ideias políticas convencionais.

(Por Cate Cadell)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos