Airbnb propõe a cidades francesas medida alternativa à regulação mais dura

PARIS (Reuters) - O site de aluguéis por períodos curtos Airbnb informou nesta quinta-feira ter proposto a Paris e a outras grandes cidades francesas a criação de limites automáticos para garantir que seus anfitriões não aluguem suas imóveis por mais de 120 dias por ano, limite legal na França para residências principais.

A resposta veio após a decisão da Câmara Municipal de Paris, na terça-feira, de tornar obrigatório a partir de dezembro que pessoas que alugam seus apartamentos por períodos curtos em plataformas como Airbnb devem registrar suas propriedades na prefeitura.

A decisão foi elogiada por representantes do setor hoteleiro francês, que enxergam o serviço de aluguel de temporada como uma concorrência desleal.

"Propusemos a Paris e a outras grandes cidades francesas uma alternativa ao registro, com o bloqueio automático de 120 noites alugadas através do Airbnb, a fim de evitar o uso profissional (do serviço)", disse à Reuters o porta-voz da empresa Aurelien Perol.

Ele disse que o Airbnb vai cumprir a decisão parisiense, embora alegue que seria mais eficiente e menos custosa a sua proposta alternativa.

Com 350 mil ofertas de apartamentos para alugar, a França é o segundo maior mercado para o Airbnb após os EUA. Paris, a cidade mais visitada no mundo, tem 65 mil ofertas.

(Por Dominique Vidalon)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos