França quer negociar impostos retroativos com Google, diz ministro

PARIS (Reuters) - A França está pronta para negociar um acordo com o Google em relação a impostos retroativos, disse o ministro do orçamento, Gerald Darmanin, ao jornal financeiro Les Echos nesta segunda-feira.

Um tribunal francês decidiu neste ano que o Google não era responsável por pagar 1,1 bilhão de euros em impostos retroativos exigidos pelas autoridades francesas.

Embora Darmanin tenha anunciado anteriormente que o governo apelaria contra a decisão, ele disse ao jornal que: "Ninguém quer um longo processo jurídico que atrase a recuperação dos impostos retroativos. Se o Google estiver pronto para conversas sinceras... nossa porta está aberta".

A Reuters não pode contatar um representante do Google França para comentários imediatos fora do horário comercial.

O Ministério das Finanças da França considera que o Google declarou na Irlanda receitas de anúncios obtidas na França e, portanto, evitou o pagamento de impostos corporativos e impostos sob valor agregado.

No entanto, o tribunal administrativo de Paris decidiu em 12 de julho que o Google Irlanda não estava sujeito a impostos corporativos e de valor agregado do período 2005-10, derrubando as demandas do governo para pagamentos retroativos.

(Por Geert De Clercq)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos