Indonésia suspenderá proibição do aplicativo Telegram

JACARTA (Reuters) - Autoridades da Indonésia e representantes do aplicativo de mensagens criptografadas Telegram concordaram em estabelecer procedimentos melhores para eliminar a distribuição de propaganda terrorista na plataforma, disseram o fundador do aplicativo e o ministro das Comunicações nesta terça-feira.

A Indonésia, que conta com a maior população muçulmana do mundo, viu um novo aumento do radicalismo doméstico e se preocupa com a crescente influência do grupo extremista Estado Islâmico.

As autoridades da Indonésia bloquearam o acesso a alguns canais do Telegram no mês passado, dizendo que vários de seus fóruns estavam "repletos de radicais e propaganda terrorista".

"Nós discutimos maneiras de bloquear propaganda do terrorismo disponível publicamente no Telegram, o que é algo que nos comprometemos a fazer globalmente e, particularmente, na Indonésia", disse o fundador do aplicativo, Pavel Durov, em entrevista à imprensa com o ministro.

Pode levar entre 24 e 36 horas para que o app feche canais públicos com conteúdo terrorista, mas uma linha direta de comunicação com autoridades indonésias permitirá que sejam "fechados de modo mais eficiente dentro de algumas horas", disse.

Uma vez que o procedimento padrão de operação for estabelecido, o governo liberaria as operações do Telegram na Indonésia, disse o ministro indonésio das Comunicações, Rudiantara.

(Por Cindy Silviana)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos