Investimento no Brasil e México pressionam lucro do Mercado Livre no 2o tri

SÃO PAULO (Reuters) - O Mercado Livre fechou o segundo trimestre com queda no lucro líquido sobre o mesmo período do ano passado, pressionado por maiores despesas nas operações do Brasil e México, que seguem atravessando forte crescimento de vendas.

Uma das maiores companhias de comércio eletrônico da América Latina, o Mercado Livre teve lucro líquido de 5,3 milhões de dólares, ante 15,9 milhões o mesmo período do ano passado.

A queda no resultado envolveu com aumento de 95 por cento nos custos diretos no Brasil ano a ano, para cerca de 120 milhões de dólares, enquanto no México essa linha passou de 9,2 milhões para 42,8 milhões.

Para o vice-presidente de operações do Mercado Livre, Stelleo Tolda, esse aumento é consequência de expansão de investimentos nos dois países, onde a empresa passou a oferecer chamarizes de vendas que incluem opções de frete grátis para buscar atrair clientes do varejo físico para o digital.

"Faz parte do nosso plano de investir mais. A gente tem investido mais justamente para crescimento do negócio, algo que inclui frete grátis, programa de fidelidade e investimento em marketing", disse Tolda.

O aumento no investimento têm dado frutos. No segundo trimestre, a receita em moedas locais como um todo cresceu 65 por cento sobre um ano antes, sem ajustes pela inflação. No Brasil, onde a empresa compete com gigantes como a B2W e Via Varejo, o crescimento foi de 60 por cento e no México houve expansão de 80 por cento.

Em dólares, a receita total do Mercado Livre subiu 58,5 por cento no período, para 316,5 milhões. No Brasil, o faturamento foi de 180 milhões de dólares, alta de 76 por cento sobre um ano antes, enquanto no México a receita foi de cerca de 20 milhões, alta também de 76 por cento.

Na Venezuela, a companhia registrou perda de cerca de 25 milhões de dólares, pressionada por impacto contábil relacionado ao câmbio de 22 milhões de dólares. A empresa não forneceu dados de resultado líquido isolados para os outros países.

"Apesar de tudo o que se houve na Venezuela, a verdade é que as pessoas continuam com suas vidas e nesse caso elas continuam comprando e vendendo", disse Tolda. "Os serviços de entrega lá continuam funcionando e os meios de pagamento também", adicionou, ao ser questionado se a empresa poderia deixar de operar na Venezuela diante da instabilidade vivida pelo país.

Na Argentina, onde a companhia foi fundada e onde ainda não lançou política de frete grátis, o crescimento da receita em dólares passou de 19 por cento no segundo trimestre de 2016 para 30 por cento no trimestre passado.

O Mercado Livre terminou junho com 191 milhões de usuários registrados, expansão de 20,6 por cento sobre o mesmo período do ano passado. O volume de vendas brutas, ou GMV, indicador que mede vendas próprias de mercadorias e vendas de terceiros, cresceu quase 36 por cento, para 2,7 bilhões de dólares. Já o número de itens vendidos subiu 41 por cento, para 61,5 milhões.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos