Linx vê margens pouco afetadas por aquisição da Synthesis, diz presidente

SÃO PAULO (Reuters) - As margens de lucro da companhia de software para varejo Linx não devem ser impactadas significativamente pela aquisição da argentina Synthesis, disse o presidente-executivo do grupo brasileiro nesta terça-feira.

"A gente vai ter que adequar a contabilidade da Synthesis aos nossos padrões. A margem dela deve ser um pouco menor que a da Linx, mas não acredito que seja brutalmente menor a ponto de afetar a margem da Linx", disse o presidente da Linx, Alberto Menache, em teleconferência com analistas.

Às 12:17, as ações da Linx exibiam queda de 2,6 por cento. Os papéis não fazem parte do Ibovespa, que no mesmo horário exibia alta de 0,5 por cento.

A Linx anunciou a compra da Synthesis em 10 de julho, no primeiro investimento da empresa em expansão pela América Latina.

Segundo Vinicius Ribeiro, da corretora Brasil Plural, a sinergia entre as duas empresas trouxe preocupação aos analistas em relação à redução da margem da companhia combinada no segundo semestre.

"A manutenção das despesas com pesquisa e desenvolvimento e a integração da empresa adquirida, que provavelmente tem margens menores, devem pressionar os custos", escreveu Ribeiro, em nota a clientes enviada nesta terça-feira.

A Linx divulgou na noite da véspera que teve lucro líquido ajustado de 27,6 milhões de reais no segundo trimestre, alta de cerca de 58 por cento sobre o mesmo período do ano passado. A margem de lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustada foi de 25,2 por cento ante 26,1 por cento um ano antes.

(Por Natália Scalzaretto)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos