Amazon é processada por mulher transgênero e marido por assédio no trabalho

(Reuters) - Uma mulher transgênero e seu marido processaram a Amazon.com nesta quarta-feira, acusando a empresa de sujeitá-los a assédio severo e ameaças físicas quando ambos trabalhavam em um estoque da varejista no Estado norte-americano do Kentucky.

Um grupo que representa o casal disse que o caso foi impressionante, dado o apoio da empresa aos direitos LGBT.

Allegra Schawe-Lane foi submetida a provocações de colegas de trabalho. Ela e o marido, Dane Lane, também receberam comentários grosseiros sobre sua vida sexual, afirmou.

Segundo o processo, o casal apresentou uma série de queixas aos supervisores durante o ano que trabalharam no estoque da empresa, mas a Amazon não tomou nenhuma atitude.

Os supervisores também os assediaram e foram instruídos a "acompanhá-los de perto". Os dois temiam por suas vidas depois que um colega de trabalho cortou os freios de um carro do casal, afirma o processo. Eles deixaram seus empregos em 2015 depois do incidente.

A Amazon não respondeu aos pedidos de comentário.

O processo chega depois que a Amazon, uma dais maiores empresas norte-americanas, foi elogiada por grupos de direitos civis pelo drama "Transparent", uma das primeiras séries com um personagem principal transgênero.

(Por Daniel Wiessner)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos