Google desabilita palavras-chaves ofensivas de anúncios encontrados por BuzzFeed

(Reuters) - O Google, da Alphabet, disse que desabilitou a "maioria" das palavras-chave ofensivas que o BuzzFeed encontrou que poderiam ser usadas por publicitários para atingir pessoas que pesquisam tópicos racistas e antissemitas.

O Google, maior plataforma de publicidade do mundo, não só permitiu que os anunciantes mirassem buscas como "porque os judeus arruínam tudo", mas também sugeriu que exibissem as propagandas ao lado de pesquisas como "o malvado judeu" e "controle judeu dos bancos", descobriu uma campanha do BuzzFeed.

Os anúncios ficavam visíveis quando essas palavras-chave eram pesquisadas e a plataforma de compras de anúncios do Google rastreava as exibições, de acordo com o relatório da empresa de mídia da Internet com base na campanha.

O Google desabilitou todas as palavras reveladas na campanha do BuzzFeed, exceto uma que corresponde exatamente a "negros destroem tudo", segundo o relatório.

"Já desativamos essas sugestões e os anúncios relacionados, e trabalharemos mais para impedir que isso aconteça novamente", disse por email Sridhar Ramaswamy, vice-presidente de anúncios do Google.

A informação chega um dia depois que o Facebook desabilitou temporariamente uma ferramenta que permitia aos publicitários segmentarem seu público-alvo com base nos dados de educação e trabalho informados pelos usuários, depois que foi revelado que o recurso permitia a segmentação com base em tópicos antissemitas.

(Por Arjun Panchadar)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos