Brasil concentra 55% dos casos de ransomware da A.Latina, diz empresa de segurança digital

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil registrou 55 por cento de todos casos de ransomware --vírus que sequestram dados de computadores e pedem resgate para liberar o conteúdo- na América Latina entre setembro de 2016 e agosto de 2017, disse nesta sexta-feira a empresa de segurança digital Kaspersky Lab.

De acordo com o levantamento realizado pela companhia foram detectados 57.512 ataques na região em todo o ano de 2016 e 24.110 casos em 2017 até o momento.

Após o Brasil, o México está em segundo lugar, 23,4 por cento das ocorrências, enquanto a Colômbia é a terceira colocada, com 5 por cento do total.

Segundo a Kaspersky, o setor de saúde é o mais afetado por ataques deste tipo, seguido por pequenas e médias empresas. Entre as principais vulnerabilidades utilizadas para a instalação dos ransomwares estão as senhas fracas e serviços incorretamente configurados.

"A ameaça com maior impacto na América Latina entre 2016 e 2017, sem dúvida, foi o sequestro de dados. O aumento do número de ataques direcionados foi notável não só na região, mas também no resto do mundo", disse o analista de segurança da Kaspersky Lab Santiago Pontiroli.

De acordo com a empresa, os ataques deste tipo aumentaram 30 por cento anualmente entre 2014 e 2017 na região.

Os ataques em ramsonware consistem em infecções por vírus que bloqueiam o acesso do usuário ao computador, realizando um "sequestro" do conteúdo. Para desbloqueá-lo, criminosos costumam exigir resgastes em dinheiro.

Em maio, o ransomware WannaCry afetou mais de 200 mil computadores em 150 países, gerando prejuízos para empresas e governos.

(Por Natália Scalzaretto)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos