Facebook compartilha anúncios relacionados à Rússia com o Congresso dos EUA

Por David Ingram

SAN FRANCISCO (Reuters) - O Facebook disse nesta quinta-feira que planeja compartilhar com investigadores do Congresso dos Estados Unidos cerca de 3 mil anúncios políticos que pessoas ligadas à Rússia publicaram no Facebook nos meses antes e depois das eleições presidenciais dos EUA no ano passado.

O presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, sob pressão para fazer mais para evitar o uso da rede social para manipular eleições, disse na plataforma que apoia a investigação pelo Congresso dos EUA.

Zuckerberg apresentou nove passos que ele disse que o Facebook está adotando para impedir que os governos usem a maior rede social do mundo para interferir em eleições.

O Facebook tornará os anúncios políticos na rede social mais transparentes, para que as pessoas possam ver quais anúncios estão sendo publicados em conexão com uma eleição, disse ele.

O consultor jurídico do Facebook, Colin Stretch, disse em outra postagem que a rede social não divulga o conteúdo de forma leviana em nenhuma circunstância, mas que a empresa quer ajudar a proteger a integridade das eleições norte-americanas.

"Acreditamos que o público merece uma explicação completa do que aconteceu nas eleições de 2016", escreveu Stretch.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos