Pacto de transferência de dados entre UE e EUA é aprovado em 1ª revisão anual

BRUXELAS (Reuters) - Um acordo de bilhões de dólares para transferências transatlânticas de dados firmado há um ano foi aprovado pela União Europeia nesta quarta-feira após uma primeira análise para garantir que Washington proteja os dados dos europeus armazenados em servidores dos Estados Unidos.

O Privacy Shield foi acordado em 2016 entre a União Europeia e os EUA depois que as transferências diárias de dados transfronteiriços caíram no limbo quando a Suprema Corte da UE acabou em 2015 com um pacto anterior de transferência de dados que permitiu acesso de espiões norte-americanos aos dados das pessoas.

A Comissão Europeia realizou em setembro sua primeira revisão anual do acordo à medida que busca garantir que os EUA cumpram suas promessas de proteger melhor os dados de europeus que são transferidos pelo Atlântico - na falta de uma alternativa ao Privacy Shield.

O órgão executivo da UE disse que estava convencido de que o programa continua a garantir uma proteção adequada aos dados pessoais dos europeus. Mas a Comissão pediu a Washington que melhore a maneira como opera, inclusive através do fortalecimento das proteções de privacidade garantidas por uma seção controversa da Lei de Vigilância de Inteligência Estrangeira dos EUA.

A decisão será um alívio para as mais de 2.400 empresas inscritas no programa, incluindo Google, Facebook e Microsoft, especialmente porque o Privacy Shield já está sendo questionado legalmente por defensores da privacidade.

(Por Julia Fioretti)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos