Black Friday deve ter alta de 19% no comércio eletrônico, espera idealizador

SÃO PAULO (Reuters) - A Black Friday deve movimentar 2,2 bilhões de reais no comércio online brasileiro este ano, alta de 19 por cento ante 2016, impulsionada por uma melhor condição econômica dos brasileiros, prevê a BlackFriday.com.br, idealizadora do evento no país.

A estimativa, que tem como base o tráfego do site, mostrou que em outubro, mês que antecede o evento, o portal teve 37 por cento mais acessos que em 2016.

"Com a queda nos preços de produtos que pesam no orçamento familiar dos brasileiros, como alimentos, o consumo de bens de maior valor agregado, como eletrodomésticos e eletroeletrônicos, volta a ser uma prioridade", diz Ricardo Bove, diretor da BlackFriday.com.br.

A empresa espera que as vendas da Black Friday fiquem acima de 2,7 bilhões de reais no período estendido do evento, entre quinta-feira e domingo (de 23 a 26 de novembro). Em São Paulo, Estado com maior participação, espera-se mais de 800 milhões de reais em faturamento.

Em 2016, os itens mais procurados foram eletrodomésticos, eletroeletrônicos, viagens, artigos de moda, para casa e decoração, disse Bove.

(Por Taís Haupt)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos