Afeganistão não bloqueará WhatsApp e Telegram, diz porta-voz

CABUL (Reuters) - O governo afegão não bloqueará os serviços de mensagens WhatsApp, controlado pelo Facebook, e Telegram, disse um porta-voz nesta segunda-feira, após dias de controvérsias devido a reportagens dizendo que os serviços seriam suspensos.

"O governo do Afeganistão não irá proibir quaisquer plataformas de redes sociais. WhatsApp e Telegram continuarão a operar no Afeganistão", disse Javid Faisal, vice-porta-voz do chefe de governo Abdullah Abdullah, no Twitter.

A disputa sobre os serviços de mensagens instantâneas começou após uma carta do órgão de regulamentação de telecomunicações do Afeganistão para provedores de internet, dizendo a eles que bloqueassem o serviço "sem demora", circulou nas redes sociais na semana passada.

O ministro das Telecomunicações em exercício disse na semana passada que o regulador de telecomunicações recebeu ordens para aplicar um bloqueio gradual nos serviços, para que melhorassem suas funcionalidades, após queixas de consumidores.

A imprensa afegã noticiou que o Diretório Nacional para Segurança do Afeganistão queria que a proibição impedisse o Talibã e outros grupos insurgentes de usarem mensagens criptografadas. O diretório não fez comentários.

(Por James Mackenzie)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos