CEO do SoftBank diz que Sprint pode crescer de forma independente, mas ainda avalia fusão

TÓQUIO (Reuters) - A Sprint pode crescer por conta própria, mas ainda considerará uma fusão se conseguir controle de gestão, disse Masayoshi Son, presidente-executivo do SoftBank Group, controlador da operadora móvel norte-americana, dias após o término de um movimento para se integrar com a T-Mobile.

A Sprint e a T-Mobile disseram no último sábado que cancelaram as negociações de fusão, abalando as credenciais de Son, que arrecadou cerca de 100 bilhões de dólares para o Vision Fund, que pretende investir em empresas de tecnologia.

Isso também coloca Son sob pressão para encontrar outra maneira de recuperar a operadora, que é a quarta maior provedora dos Estados Unidos, com 38 bilhões de dólares em dívida, e está lutando para competir com Verizon Communications e AT&T.

"Mesmo que seja difícil para os próximos três ou quatro anos, numa escala de cinco ou dez anos, é uma empresa estrategicamente indispensável", disse Son à repórteres no relatório de resultados do SoftBank nesta segunda-feira.

No entanto, quando perguntado sobre a possibilidade de fusão com a T-Mobile, Son disse que "a porta está aberta" se os direitos de gerenciamento forem preservados.

O SoftBank anunciou nesta segunda-feira um aumento de 21 por cento no lucro operacional do segundo trimestre, à medida que o valor de seus investimentos em tecnologia cresceu.

O lucro no trimestre de julho a setembro subiu para 395,6 bilhões de ienes (3,46 bilhões de dólares), ante 328,1 bilhões de ienes no mesmo período do ano anterior. Excluindo o lucro do Vision Fund, a receita teria caído 4 por cento.

(Por Sam Nussey)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos