Posição da Anatel sobre plano da Oi não atrapalha atuação da AGU no caso, diz ministra

Por Leonardo Goy

SÃO PAULO (Reuters) - As decisões e manifestações da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em relação à Oi “de forma alguma embaraçam” o trabalho que vem sendo desenvolvido pela Advocacia-Geral da União (AGU) para negociar um acordo que solucione a situação da operadora, disse nesta quarta-feira a repórteres a ministra titular da AGU, Grace Mendonça.

Ela fez o comentário ao ser indagada sobre a recomendação da área técnica da Anatel para que sejam feitos ajustes no plano de recuperação judicial da empresa, alegando que o texto atual cria riscos para a companhia.

Segundo uma fonte próxima ao assunto, a área técnica da Anatel sugeriu ao conselho-diretor que o pagamento de taxas referentes ao sucesso do plano chamado de PSA só sejam pagas no momento do aumento de capital e propôs que os administradores da Oi sejam multados em 50 milhões de reais se assinarem o PSA com a redação atual.

A proposta da área técnica da Anatel, porém, ainda precisa passar pelo conselho da agência, a quem caberá a decisão sobre o assunto.

"A atuação da Anatel tem todo um suporte técnico, legal, que é específico. Mas volto a dizer que as posições firmadas por ela em nada atrapalham ou embaraçam esse trabalho que vem sendo desenvolvido por nós", disse Grace Mendonça.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos