Reguladores de privacidade da UE vão discutir vazamento de dados do Uber semana que vem

Por Julia Fioretti

BRUXELAS (Reuters) - Os reguladores de privacidade da União Europeia discutirão o acobertamento do enorme vazamento de dados do Uber na semana que vem e devem criar uma força-tarefa para coordenar as investigações.

O Uber enfrenta um escrutínio regulatório após o presidente-executivo, Dara Khosrowshahi, ter dito que a companhia de transporte urbano por aplicativo encobriu um vazamento no ano passado que expôs dados pessoais de cerca de 57 milhões de contas.

O presidente do grupo das autoridades europeias de proteção de dados - conhecido como grupo de trabalho do Artigo 29 - disse nesta quinta-feira que o vazamento de dados vai ser discutido em reunião nos dias 28 e 29 de novembro.

Embora as autoridades de proteção de dados da UE não possam impor sanções conjuntas, elas podem criar forças-tarefa para coordenar investigações.

Quando a nova lei de proteção de dados da UE passar a vigorar em maio, os reguladores terão o poder de aplicar multas muito maiores - de até 4 por cento da receita global - e poderão estreitar a cooperação.

O Uber pagou aos hackers 100 mil dólares para manter em segredo a violação maciça.

"Nós não podemos fazer nada além de expressar nossa grande preocupação com o vazamento sofrido pelo Uber, que foi divulgado tardiamente pela empresa norte-americana. Nós iniciamos nossas investigações e estamos reunindo todas as informações que podem nos ajudar a avaliar o escopo do vazamento de dados e adotar as medidas apropriadas para proteger qualquer cidadão italiano que esteja envolvido", disse o presidente da Autoridade Italiana de Proteção de Dados, Antonello Soro, na quarta-feira.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos