Google tenta evitar atrito com Rússia sobre ranking de sites

MOSCOU (Reuters) - O Google não altera seu algoritmo de busca para reclassificar sites individuais, disse a empresa em carta enviada ao órgão regulador das comunicações na Rússia, depois que Moscou manifestou preocupação de que o mecanismo de busca poderia discriminar a mídia russa.

O Roskomnadzor informou no início deste mês que buscaria esclarecimentos junto ao Google, da Alphabet, sobre se intencionalmente colocava artigos dos sites de notícias russos Sputnik e Russia Today mais baixos nos resultados de pesquisa.

Respondendo a uma pergunta sobre os artigos da Sputnik em uma conferência no início de novembro, o presidente-executivo da Alphabet, Eric Schmidt, disse que o Google estava trabalhando para dar menos destaque a "esses tipos de sites", enquanto se opunha a exclusão dos mesmos.

Isso provocou queixas das autoridades russas, com o Roskomnadzor dizendo na semana passada agiria contra o Google se a empresa discriminasse a mídia russa.

"Gostaríamos de informá-lo de que, ao falar sobre o ranking de fontes da internet, incluindo os sites da Russia Today e Sputnik, o Dr. Eric Schmidt estava se referindo aos esforços contínuos do Google para melhorar a qualidade da pesquisa", informou o Google em carta publicada no site do Roskomnadzor.

"Não alteramos nosso algoritmo para reclassificação", acrescentou.

Uma porta-voz da Google confirmou que a carta havia sido enviada pela empresa, mas não forneceu mais comentários.

O governo russo financia o Sputnik e o Russia Today.

(Por Maria Kiselyova)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos