Serviços israelenses do Uber são interrompidos por ordem judicial

Por Dan Williams

TEL AVIV (Reuters) - O Uber foi condenado a suspender um serviço de teste em Tel Aviv que a empresa de transporte urbano compartilhado por aplicativo esperava que abriria caminho para operações completas em Israel.

A decisão do tribunal israelense é a mais recente de uma série de contratempos internacionais ligados a assédio sexual, privacidade de dados e práticas comerciais.

O dano da reputação tem sido tal que os executivos da empresa estão viajando pelo mundo para garantir aos reguladores que o Uber está mudando a forma como faz negócios, disse um executivo nesta segunda-feira.

A empresa disse que cumprirá a decisão do tribunal de Israel, interrompendo os serviços pilotos UberNIGHT e UberDAY na área de Tel Aviv, mas sinalizou que espera alcançar um acordo de longo prazo que permita que o Uber opere no país.

Não ficou claro, no entanto, de que maneira o modelo de negócios da empresa poderá funcionar dentro das regulamentações israelenses, que só permitem que os táxis licenciados que paguem impostos transportem passageiros.

A ordem entrará em vigor na quarta-feira.

(Por Dan Williams)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos