Austrália vai investigar Facebook e Google por perturbar mercado de mídia

Por Jonathan Barrett e Tom Westbrook

SYDNEY (Reuters) - O órgão regulador da concorrência da Austrália disse nesta segunda-feira que investigará se os gigantes online norte-americanos Facebook e Google, da Alphabet, perturbaram o mercado de mídia em detrimento de editoras e consumidores.

Como seus rivais em todo o mundo, as empresas de mídia tradicionais da Austrália estão pressionadas pelas rivais online, à medida que anunciantes seguiram seus públicos para distribuidores digitais, como Google, Facebook e Netflix.

O governo australiano solicitou a investigação como parte das amplas reformas de mídia, em meio à crescente preocupação com o futuro do jornalismo e a qualidade das notícias após anos de queda de lucros e cortes de empregos nas redações e com o aumento das notícias falsas.

"Examinaremos se as plataformas estão exercendo o poder de mercado em negócios comerciais em detrimento dos consumidores, criadores de conteúdo de mídia e anunciantes", afirmou o presidente da Comissão Australiana de Concorrência e Consumidores, Rod Sims, em comunicado.

O inquérito também estudará como o Facebook e o Google operam para "entender completamente a sua influência na Austrália", acrescentou.

Um porta-voz do Google disse: "Estamos ansiosos para nos envolver com esse processo relevante". O Facebook não respondeu a um pedido de comentário.

A investigação, que terá poder para exigir informações de empresas e realizar audiências, deve apresentar seu relatório final em 18 meses.

(Por Jonathan Barrett e Tom Westbrook)((Tradução Redação São Paulo; +55 11 56447745))REUTERS TH RBS

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos