TSE cria grupo para monitorar "fake news"

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente do Tribunal Superior Eleitora (TSE), ministro Gilmar Mendes, criou um grupo para desenvolver pesquisas e estudos sobre as regras eleitorais e a influência da internet nas eleições, de olho principalmente no risco da divulgação de "fake news" e disseminação dessas informações falsas com o uso de robôs.

O colegiado, intitulado Conselho Consultivo sobre Internet e Eleições, terá como atribuição também propor ações e metas voltadas para o aperfeiçoamento das normas sobre o assunto e ainda opinar sobre as reportagens que lhe sejam submetidas pela Presidência do TSE.

O conselho é formado por 10 integrantes, com representantes do tribunal, dos Ministério da Justiça e da Ciência e Tecnologia, do Exército Brasileiro, da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), entre outras entidades.

(Reportagem de Ricardo Brito)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos