Salva por sensores, Sony quer expandir aplicações em robótica e carros autônomos

Por Makiko Yamazaki e Yoshiyasu Shida

TÓQUIO (Reuters) - A Sony deve reportar o maior lucro em 2017 impulsionado por fortes vendas de sensores de imagem, após anos perdendo terreno em eletrônicos de consumo, e espera desenvolver a tecnologia para uso em robótica e automóveis autônomos.

Os resultados marcarão uma mudança significativa para o conglomerado, que já liderou o mercado mundial de aparelhos de consumo, como o seu reprodutor de música Walkman, mas agora encontra um novo foco em sensores de imagem e jogos.

A Sony prevê que o lucro operacional no ano até março seja mais do que duplicado para 630 bilhões de ienes (5,6 bilhões de dólares) em relação ao ano anterior e espera que a sua divisão de chips, na maioria composta pelo negócio de sensores de imagem, seja o maior motor de crescimento do conglomerado.

Os executivos dizem que um avanço tecnológico nos sensores de imagens está por trás do sucesso. O avanço, criando um sensor que captura mais luz para produzir imagens mais nítidas, coincidiu com a crescente demanda dos consumidores por melhores câmeras de celulares para compartilhar fotos nas redes sociais.

A descoberta, que envolveu a reconfiguração do layout do sensor e iluminação traseira, como é conhecida, permitiu que a Sony ocupasse quase metade do mercado de sensores de imagem.

(Por Makiko Yamazaki e Yoshiyasu Shida)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos