Polícia de Chicago diz que "grupos secretos" no Facebook são usados para tráfico de armas e drogas

Por Bernie Woodall

(Reuters) - A polícia de Chicago disse que prendeu 50 pessoas suspeitas de usar "grupos secretos" no Facebook para negociar armas e drogas e se juntou com a maior rede social do mundo para reprimir o tráfico de drogas online.

Anunciando as prisões em uma coletiva de imprensa, o Superintendente de Polícia Eddie Johnson inicialmente criticou o Facebook por sua atuação durante uma investigação de 10 meses do seu departamento.

"Sendo sincero, eles não foram muito amigáveis com os agentes da lei para impedir estas coisas", disse ele aos repórteres.

No entanto, a polícia disse mais tarde que o departamento e a empresa concordaram em trabalhar de forma colaborativa "para atacar qualquer atividade ilegal na rede social".

A polícia não detalhou as acusações enfrentadas pelos 50 homens e mulheres presos na quinta-feira, mas disse que havia "dúzias e dúzias" de grupos privados no Facebook sendo usados ​​para transações de drogas e armas ilegais. Os mandados de apreensão para mais 18 suspeitos já foram assinados e a maioria tem antecedentes criminais, segundo a polícia.

Em uma declaração enviada por email na quinta-feira, o Facebook, que tem 2 bilhões de usuários em todo o mundo, disse que acabou de ser alertado sobre as prisões em Chicago.

"Nós não permitimos a venda de armas ou drogas em nossa plataforma. Trabalhamos rotineiramente com agentes da lei e explicamos como as autoridades podem enviar uma solicitação em nosso site", acrescentou.

(Por Bernie Woodall)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos