Estudantes sul-coreanos entram no mercado de criptomoedas mesmo com alertas de autoridades

Por Dahee Kim

SEUL (Reuters) - Hackers roubaram milhões em moedas virtuais, legisladores estão estudando novos impostos e regras, e o Ministério de Finanças indiano comparou as criptomoedas a um "esquema Ponzi".

Mas isso não diminuiu um frenesi pelo bitcoin e outras moedas virtuais que estão conquistando jovens investidores na Coreia do Sul.

"Eu não quero mais ser professor de matemática", disse Eoh Kyong-hoon, de 23 anos, que fundou o clube Cryptofactor. "Eu estudei esta indústria por mais de 10 horas diariamente ao longo de meses, e estou certo de que este é o meu futuro".

Impulsionados em parte por um panorama econômico sombrio - incluindo uma taxa de desemprego quase três vezes maior que a média nacional - jovens sul-coreanos estão investindo em moedas virtuais apesar dos riscos e avisos de autoridades, dizem analistas.

É uma tendência que chamou a atenção de líderes e reguladores sul-coreanos, que anunciaram novas medidas nesta semana para regular a especulação em operações com criptomoedas no país.

As preocupações com a segurança e roubos de moedas virtuais por hackers também estão aumentando. Uma bolsa sul-coreana de criptomoedas caiu recentemente e entrou em recuperação judicial depois de ser invadida pela segunda vez este ano.

(Por Dahee Kim)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos