Moeda virtual pode estar sendo direcionada para Coreia do Norte, diz relatório

SEUL (Reuters) - Uma empresa de segurança cibernética disse ter encontrado um software que pode instalar código de mineração de moeda virtual e enviar moedas mineradas ao servidor de uma universidade norte-coreana, no mais recente indício de que a Coreia do Norte pode estar procurando novas maneiras de injetar dinheiro na economia.

O aplicativo, criado em 24 de dezembro, usa computadores para explorar a criptomoeda Monero. Em seguida, envia moedas para a Universidade Kim Il Sung em Pyongyang, disse a empresa de segurança cibernética AlienVault, que examinou o programa.

"As criptomoedas podem fornecer uma linha de recursos para um país afetado por sanções e, como resultado, as universidades em Pyongyang mostraram um claro interesse em moedas virtuais", afirmou a empresa norte-americana de segurança.

A empresa fez uma ressalva de que um servidor norte-coreano não parece estar conectado à internet mais ampla, o que pode significar que sua inclusão pretende enganar observadores para fazer uma conexão norte-coreana. A Universidade Kim Il Sung recebe estudantes e palestrantes estrangeiros.

A Universidade não respondeu aos pedidos de comentários. Funcionários do governo da Coreia do Norte na Organização das Nações Unidas (ONU) não estavam disponíveis para comentar.

Outros marcaram indícios crescentes de interesse norte-coreano em moedas virtuais e na tecnologia blockchain.

"Com as sanções econômicas no local, as criptomoedas são atualmente a melhor maneira de ganhar moeda estrangeira na situação da Coreia do Norte. É difícil rastrear e pode ser lavada várias vezes", disse Mun Chong-hyun, analista chefe da empresa sul-coreana de segurança cibernética ESTsecurity.

(Por Joyce Lee)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos