Merkel diz que pode rever lei contra discurso de ódio em mídias sociais na Alemanha

BERLIM (Reuters) - A chanceler alemã, Angela Merkel, anunciou neste sábado que estava preparada para considerar mudanças na nova lei amplamente criticada que visa livrar a mídia social do discurso de ódio.

A legislação, que entrou em vigor em 1º de janeiro, pode impor multas de até 50 milhões de euros (60,1 milhões de dólares) a sites que não conseguem remover prontamente o discurso de ódio, suscitando preocupações de que Twitter, Facebook e outras plataformas sociais possam bloquear mais conteúdo do que o necessário.

"É claro que agora estamos analisando as consequências que esta lei tem e definitivamente vamos avaliar também", disse Merkel em seu podcast de vídeo semanal.

"Pode ser precise fazer alterações, mas a abordagem básica que precisamos de regras é absolutamente certa e necessária", disse ela, sem dar mais detalhes.

A Alemanha tem algumas das leis mais pesadas do mundo que abrangem difamação, incitamento público a cometer crimes e ameaças de violência, sentenças de prisão por negação do Holocausto ou incitação ao ódio contra as minorias.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos