Kaspersky Lab planeja centro de dados na Suíça para combater alegações de espionagem

Por Jack Stubbs e Jim Finkle

MOSCOU/TORONTO(Reuters) - A Kaspersky Lab, com sede em Moscou, planeja abrir um centro de dados na Suíça em resposta a preocupações de governos ocidentais de que a Rússia explore seu software antivírus para espionar os clientes, segundo documentos internos vistos pela Reuters.

A iniciativa vem após Estados Unidos, Grã-Bretanha e Lituânia tomarem medidas para interromper o uso dos produtos da empresa, segundo uma pessoa com conhecimento direto do assunto.

A ação é o mais recente esforço da Kaspersky, líder global em software antivírus, para esquivar-se de acusações de que ela espiona clientes a pedido da inteligência russa. No ano passado, os EUA ordenaram que agências governamentais civis removessem o software Kaspersky de suas redes.

Kaspersky tem negado veementemente as acusações e entrou com uma ação contra a proibição dos EUA.

As alegações dos EUA foram o "gatilho" para a instalação do centro de dados suíço, disse a pessoa familiarizada com os planos da Kapersky na Suíça, mas não o único fator.

A pessoa se recusou a fornecer mais detalhes sobre o novo projeto, mas acrescentou: "Este não é apenas um golpe de relações públicas. Estamos realmente mudando nossa infraestrutura de pesquisa e desenvolvimento".

     Um porta-voz da Kaspersky se recusou a comentar os documentos analisados pela Reuters.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos