Fraudadores tentam usar identidade da primeira-dama francesa para garantir privilégios

Marine Pennetier

Em Paris

  • Reuters

    Brigitte Macron registrou queixa por roubo de identidade

    Brigitte Macron registrou queixa por roubo de identidade

Fraudadores usaram um falso endereço de email da presidência e o nome da primeira-dama francesa, Brigitte Macron, para tentar entrar em restaurantes famosos e locais de entretenimento em todo o mundo, levando a mulher do presidente a registrar queixa por roubo de identidade.

"Uma queixa foi registrada e uma investigação está em andamento", disse um assessor de Brigitte Macron, que vive na residência privada do Palácio do Eliseu com seu marido Emmanuel desde que ele foi eleito em maio de 2017.

Os fraudadores fracassaram nas tentativas, acrescentou o assessor.

Notícias do esquema surgiram na rádio RTL, que informou que dezenas de emails foram enviados por um endereço de email -- cabinet@presidence.fr, surpreendentemente similar aos oficiais -- pedidos entre outros favores a melhor mesa em um restaurante cinco estrelas e ingressos para o Grand Prix de Fórmula 1.

Emails foram enviados também para outros países como Hong Kong e Marrocos, levantando preocupações de que o esquema pode ter sido criado para danificar a reputação da primeira-dama, de acordo com a rádio RTL.

Esposas de presidentes franceses não desfrutam do status oficial do modo como acontece em países como os Estados Unidos.

Mas Brigitte Macron participa informalmente como organizadora de várias causas e eventos; um deles foi a apresentação de um clássico musical em que seu marido fez a narrativa para um público de crianças no Palácio do Eliseu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos