Alibaba vai comprar restante das ações do aplicativo de entrega de alimentos Ele.me

(Reuters) - O gigante chinês de comércio eletrônico Alibaba disse nesta segunda-feira que vai comprar as ações remanescentes do aplicativo Ele.me, plataforma importante no mercado de entrega de alimentos da China, na disputa com a Tencent por serviços para consumidores fora da internet.

O Alibaba e sua subsidiária Ant Small & Micro Financial Services atualmente detêm cerca de 43 por cento do Ele.me, e o último acordo avaliou a startup em 9,5 bilhões de dólares, disse o Alibaba em comunicado.

Ele.me, numa tradução livre significa "com fome?", faz parte do competitivo e de rápido crescimento mercado de e-commerce da China, impulsionado por consumidores para usar smartphones para comprar desde mantimentos a ingressos de cinema.

Em agosto, a Ele.me comprou importante braço de entrega do Baidu. Para o Alibaba, a mais recente aquisição amplia o império de entrega de alimentos da empresa de e-commerce, que também inclui a plataforma de entregas Koubei, enquanto compete com a Meituan Dianping, apoiada pela Tencent.

A Alibaba e a Meituan estão investindo pesado em serviços offline, incluindo entregas, pagamentos móveis e lojas sem vendedores, para explorar um público mais amplo, já que o comércio online da China mostra sinais de desaceleração.

A Ele.me continuará operando sob sua própria marca após a aquisição, disse o Alibaba, mas combinará algumas funcionalidades com o Koubei.

Como parte do acordo, o Alibaba deslocará o vice-presidente do Alibaba, Wang Lei, como executivo-chefe da Ele.me, enquanto o atual presidente-executivo e fundador da Ele.me se tornará presidente e atuará como consultor especial do Alibaba em novas estratégias de varejo.

(Por Cate Cadell em Pequim e Ismail Shakil)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos