Alibaba supera expectativas com crescimento de 61% na receita no trimestre

PEQUIM (Reuters) - O Alibaba Group Holding, maior empresa de comércio eletrônico da China, divulgou um aumento de 61 por cento na receita no trimestre encerrado em março --o último de seu ano fiscal--, superando as estimativas dos analistas, impulsionado pelo crescimento mais forte do que o esperado em seus negócios.

A empresa também previu um aumento de receita de 60 por cento no ano fiscal que se encerra em 31 de março de 2019, contra 58 por cento em 2017-18.

Os resultados marcam dois anos de crescimento contínuo de receita trimestral acima de 50 por cento para o Alibaba, mesmo com os investimentos de novos negócios e a consolidação de sua participação de 33 por cento na filial de pagamentos Ant Financial, que continua a pesar nas margens.

A empresa registrou receita de 61,9 bilhões de iuanes (9,73 bilhões de dólares) entre janeiro e março, contra uma estimativa média de 58,9 bilhões de iuanes de 23 analistas consultados pela Thomson Reuters I/B/E/S.

A margem operacional do Alibaba no trimestre foi de 15 por cento, abaixo dos 25 por cento um ano antes.

A empresa investiu pesadamente em computação em nuvem, comércio eletrônico no exterior e varejo no ambiente físico, em uma tentativa de manter seu crescimento vertiginoso, já que o mercado de comércio eletrônico da China mostra sinais de saturação.

O negócio de comércio, principal do Alibaba, cresceu 62 por cento na comparação ano a ano para 51,3 bilhões de iuanes, enquanto seus negócios de computação em nuvem cresceram 103 por cento, para 4,4 bilhões de iuanes, impulsionados por novos centros de dados no exterior.

O trimestre foi o primeiro desde que o Alibaba adquiriu uma participação de um terço na Ant Financial, substituindo um contrato anterior de participação nos lucros segundo o qual a Ant pagava royalties ao Alibaba equivalente a 37,5 por cento de seus lucros antes dos impostos.

A mudança, que ajuda a pavimentar o caminho para o IPO da Ant Financial, deve limitar os lucros no curto prazo, à medida que a companhia de pagamentos investe para evitar a concorrência no mercado chinês.

O Alibaba também enfrenta intensa concorrência da empresa de varejo online JD.com nos mercados de varejo físico e de produtos de luxo altamente concorridos.

O lucro líquido do Alibaba atribuível aos acionistas foi de 7,6 bilhões de iuanes no trimestre de janeiro a março, 29 por cento abaixo do mesmo trimestre de 2017.

(Por Arjun Panchadar em Bengaluru e Cate Cadell em Pequim)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos