Buffet critica bitcoin por alta relacionada a mística e prefere ações

Por Jonathan Stempel e Jennifer Ablan

NOVA YORK (Reuters) - O investidor bilionário Warren Buffett disse nesta segunda-feira que compradores de bitcoin, o que classificou como "veneno de rato ao quadrado", prosperam na esperança de encontrar outras pessoas que paguem mais pela criptomoeda.

Comparando a demanda de bitcoin à mania das tulipas ocorrida na Holanda do século 17, Buffett, presidente do conselho e presidente-executivo da Berkshire Hathaway, disse que a mística por trás da criptomoeda fez com que seu preço aumentasse.

"Se você não entende o assunto, fica muito mais animado", disse Buffett no canal de televisão CNBC. "As pessoas gostam de especular, elas gostam de jogar."

Ele disse que agora os investidores estão muito melhor comprando ações dos EUA, cujos preços estão elevados, mas não em uma "bolha", e que precisaria de "nanossegundo" para ele escolher ações em vez de títulos públicos dos Estados Unidos de 10 ou 30 anos que agora estão rendendo cerca de 3 por cento.

Charlie Munger, parceiro comercial de longa data de Buffett e vice-presidente do conselho da Berkshire, também não é fã de bitcoin, descrevendo a moeda digital como "ouro artificial inútil". Ele a comparou com a definição de caça à raposa de Oscar Wilde, chamando-a de "a busca do insustentável pelo indescritível".

Buffett, 87, e Munger, 94 anos, falaram dois dias depois de presidirem a reunião anual de acionistas da Berkshire em Omaha, Nebraska.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos