Hong Kong se prepara para mais um IPO de US$10 bi, agora da China Tower

Por Jennifer Hughes e Julie Zhu

HONG KONG (Reuters) - A China Tower, maior operadora mundial de torres de telefonia móvel, pediu registro para listar suas ações em Hong Kong, no que pode ser o segundo IPO (oferta inicial de ações, na sigla em inglês) de 10 bilhões de dólares este ano naquele mercado.

A empresa, criada em 2014 a partir das operações de torres de três provedores estatais chineses de telefonia, fez o pedido pouco mais de uma semana após a fabricante chinesa de smartphone Xiaomi pedir registro para IPO que pode também levantar até 10 bilhões de dólares.

Esta poder ser a primeira vez que a cidade recebe duas mega ofertas desde 2010, quando a seguradora AIA e o Agricultural Bank of China captaram 20 bilhões e 22 bilhões de dólares, respectivamente.

A expectativa é que a China Tower busque um valor de até 40 bilhões de dólares, segundo fontes com conhecimento dos planos.

O tamanho final das duas ofertas vai depender do humor do mercado e do apetite do investidor. A Xiaomi deve emitir suas ações em julho, enquanto a China Tower busca sua oferta logo após o verão (na China), disseram as fontes.

O IPO da China Tower é liderado pelo China International Capital (CICC) e pelo Goldman Sachs.

A empresa operava 1,9 milhão de torres no fim de 2017. Sua receita operacional subiu quase 23 por cento no ano, para 68,7 bilhões de iuanes (10,8 bilhões de dólares), enquanto o lucro subiu mais de 25 vezes, para 1,9 bilhão de iuanes.

Inicialmente, a expectativa era que o IPO fosse lançado no início deste ano, mas foi adiado, segundo fontes, pelas dificuldades de obter todas as aprovações de reguladores assim como dos três principais proprietários da empresa: China Mobile, China Telecom e China Unicom.

As três combinaram suas torres numa tentativa de agilizar operações e reduzir a duplicação de torres. Naquele momento, a China Mobile tinha 38 por cento, China Unicom, 28,1 por cento e a China Telecom, 27,9 por cento. A China Reform Holding, gestora estatal de ativos, ficou com os 6 por cento restantes.

A capitalização de algumas rivais globais são elevados.

As norte-americanas American Tower e Crown CastleInternational são negociadas em cerca de 54 vezes e 111 vezes os lucros do ano passado, respectivamente, de acordo com dados da Thomson Reuters.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos