Trump pediu ao Serviço Postal que dobrasse taxas de entrega cobradas da Amazon, diz Washington Post

WASHINGTON (Reuters) - O presidente Donald Trump pressionou pessoalmente à chefe do Serviço Postal dos Estados Unidos para dobrar as taxas cobradas da Amazon.com e outras empresas para o envio de encomendas, informou o Washington Post nesta sexta-feira, citando três fontes anônimas.

A chefe do correio Megan Brennan resistiu à sugestão de Trump em conversas privadas em 2017 e 2018, dizendo a ele que as taxas de entrega são estabelecidas em contrato e revisadas por uma comissão independente, disseram as fontes de acordo com o jornal.

Ela também disse a Trump, usando um conjunto de slides que mostravam outras empresas além da Amazon que são parceiras nas entregas, que os acordos têm ajudado financeiramente o Serviço Postal, disse o Post, citando as fontes.

Trump disse repetidas vezes sem apresentar evidências que as entregas da Amazon estavam trazendo custos financeiros ao correio. No mês passado, ele ordenou a criação de uma força-tarefa para estudar o Serviço Postal e suas dificuldades financeiras.

A Casa Branca não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. A Amazon e o Serviço Postal não quiseram comentar.

Trump criticou a Amazon e Jeff Bezos, fundador e presidente- executivo do varejista online. Bezos também é dono do The Washington Post, que publicou histórias que enfureceram o presidente.

Grandes aumentos nas taxas de entrega de encomendas podem custar bilhões à Amazon e outras empresas, levando a preços mais altos para os consumidores.

(Por Eric Walsh)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos