Facebook lança arquivo pesquisável de anúncios políticos dos EUA

Por David Ingram

SAN FRANCISCO (Reuters) - O Facebook lançou nesta quinta-feira um arquivo de anúncios políticos dos Estados Unidos, mostrando quem pagou por eles e outros detalhes, após protestos contra a suposta compra de anúncios pela Rússia nas eleições de 2016.

A ferramenta será lançada em outros países nos próximos meses.

O Facebook, que tem 2,2 bilhões de usuários ativos mensais, prometeu há sete meses criar um cache, dizendo na véspera das audiências no Congresso dos EUA que queria aumentar a transparência sobre seu papel na propaganda política.

Serviços digitais como Facebook, Twitter, Google e YouTube potencializaram a forma como as campanhas políticas alcançam eleitores em muitos países devido ao seu poder de segmentar anúncios em públicos estreitos e seu baixo custo em comparação com anúncios de televisão.

A partir desta quinta-feira, todos os anúncios americanos sobre eleições ou questões políticas no Facebook e no Instagram, que pertence ao Facebook, devem ser rotulados com o nome de quem está pagando, disse Rob Leathern, diretor de gerenciamento de produtos publicitários do Facebook, em um post. O arquivo começa com anúncios publicados em maio.

Ao clicar no rótulo, a pessoa é levada a um arquivo com informações como o orçamento da campanha, quantas pessoas viram e a demografia dessas pessoas, como idade, localização e sexo, disse Leathern.

"Acreditamos que o aumento da transparência levará a uma maior responsabilização e responsabilidade ao longo do tempo - não apenas para o Facebook, mas também para os anunciantes", disse Leathern.

Google e Twitter disseram que planejam construir bancos de dados similares.

(Por David Ingram)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos