Vício em jogos é classificado como transtorno de saúde mental pela OMS

Por Kate Kelland

LONDRES (Reuters) - Alguns pais podem ter um novo argumento para limitar o 'tempo de tela' dos filhos, após a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhecer o vício em videogames como problema de saúde mental.

A Classificação Internacional de Doenças (CID) da OMS, uma bíblia de doenças reconhecidas e diagnosticáveis, descreve a dependência de jogos digitais e de vídeo como "um padrão de comportamento persistente ou recorrente de jogos" que se torna tão grande que "prevalece sobre outros interesses de vida".

O especialista da OMS em saúde mental e abuso de substâncias Shekhar Saxena disse que alguns dos piores casos observados em pesquisa global foram de pessoas jogando até 20 horas por dia, perdendo o sono, refeições, trabalho ou escola e outras atividades diárias.

Ele ressaltou que apenas uma pequena minoria de pessoas que jogam videogames desenvolvem o problema, mas disse que o reconhecimento de sinais de alerta pode ajudar a evitá-lo.

"Este é um comportamento ocasional ou transitório", disse, acrescentando que um diagnóstico potencial de distúrbio pode ser feito apenas se o comportamento persistir por cerca de um ano.

O CID, que tem sido atualizado nos últimos 10 anos, abrange 55 mil tipo de lesões, doenças e causas de morte. O guia serve de base para a OMS e outros especialistas ver e responder às tendências em saúde.

"Isso nos permite entender muito sobre o que faz as pessoas adoecerem e morrerem, e tomar medidas para evitar o sofrimento e salvar vidas", disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em comunicado.

O CID também é usado por seguradoras de saúde cujos reembolsos dependem das classificações do guia.

(Por Kate Kelland)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos