Autoridades dos EUA querem que Google reconsidere ligação com chinesa Huawei

WASHINGTON (Reuters) - Um grupo de parlamentares dos Estados Unidos pediu ao Google, da Alphabet, nesta quarta-feira, para reconsiderar seu trabalho com a empresa de telecomunicações chinesa Huawei Technologies, que descreveu como uma ameaça à segurança nacional.

Em carta enviada ao presidente-executivo do Google, Sundar Pichai, os legisladores disseram que a empresa recentemente decidiu não renovar o "Projeto Maven", uma parceria de pesquisa de inteligência artificial com o Departamento de Defesa dos EUA.

"Apesar de lamentarmos que o Google não queira continuar uma longa e frutífera tradição de colaboração entre as empresas militares e de tecnologia, estamos ainda mais decepcionados com o fato de que o Google está mais disposto a apoiar o Partido Comunista Chinês que os militares dos EUA".

A carta foi assinada pelos senadores republicanos Tom Cotton e Marco Rubio, pelos deputados republicanos Michael Conaway e Liz Cheney e pelo deputado democrata Dutch Ruppersberger.

A Alphabet não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

A carta foi a mais recente de uma série de esforços de membros do Congresso dos EUA para atingir a Huawei, e a ZTE, outra grande empresa chinesa de equipamentos de telecomunicações.

Os parlamentares escreveram projetos de lei que impedem as agências governamentais de usar os produtos das empresas e tentam derrubar o acordo do presidente Donald Trump de encerrar a proibição contra a ZTE.

No início deste mês, outro senador, o democrata Mark Warner, escreveu à Alphabet e outras empresas de tecnologia perguntando sobre quaisquer acordos de compartilhamento de dados com fornecedores chineses.

(Por Patricia Zengerle)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos