Como terminou a tentativa de Elon Musk de ajudar no resgate das crianças da Tailândia?

  • Reprodução

    Musk é famoso por investir em ações humanitárias com potencial para atrair a atenção do público

    Musk é famoso por investir em ações humanitárias com potencial para atrair a atenção do público

A tentativa do empresário Elon Musk de ajudar no resgate dos meninos presos nas cavernas Tham Luang, em Chiang Rai, na Tailândia, foi alvo de elogios e críticas.

Musk anunciou pelas redes sociais que havia visitado o centro de comando da operação de salvamento dos 12 meninos e seu técnico de futebol, e afirmou ter deixado no local um minisubmarino desenvolvido por suas empresas para retirar o grupo.

O chefe da missão de resgate agradeceu Musk por sua oferta, mas disse que o submarino não poderia ser usado.

"O equipamento que trouxeram não é algo prático de ser usado em nossa missão", explicou Narongsak Osotthanakorn. "Ainda que seja tecnologicamente sofisticado, ele não se encaixa em nossa operação para entrar na caverna."

A Marinha tailandesa anunciou em seguida que o grupo já havia sido retirado em segurança.

Desde então, Musk publicou no Twitter um email que recebeu de Richard Stanton, um dos dois especialistas britânicos chamados para comandar o resgate. A mensagem foi o que levou o empresário a criar a cápsula o mais rápido possível.

Tentativa tecnológica

Musk disse pela primeira vez que poderia ajudar no resgate em 4 de julho, respondendo a uma sugestão de um usuário do Twitter.

Dois dias depois, o empresário anunciou que estava enviando para a Tailândia engenheiros de duas de suas empresas, a SpaceX e a Boring Company - que é especializada em perfuração.

Ele publicou em seguida uma série de mensagens sobre as possíveis soluções técnicas para o problema, como a proposta de um tubo de ar que poderia ser inflado como um pula-pula, o que permitiria que os meninos e seu técnico saíssem da caverna caminhando.

Musk acabou concluindo que seria melhor transformar os foguetes Falcon usados pela sua empresa de exploração espacial em um tipo de "submarino de tamanho infantil" e publicou vídeos de testes do equipamento.

Questionado se a cápsula poderia ficar presa em uma seção mais estreita do sistema de túneis, ele respondeu que seus engenheiros tinham criado uma réplica inflável do aparelho, que poderia ser usada para checar se o submarino verdadeiro ficaria ou não preso.

Musk disse ainda que uma versão menor também estava sendo construída.

"O time de engenheiros da SpaceX conversou com vários mergulhadores que já fizeram o percurso e analisou uma grande quantidade de imagens de vídeo da caverna. A equipe tem certeza de que o mini-submarino consegue fazer toda a jornada", disse Musk.

Apesar de o aparelho não ter sido usado, Musk disse que iria deixá-lo com as autoridades tailandesas "para o caso de ser útil no futuro".

O bilionário é famoso por investir em ações humanitárias com um bom potencial para atrair a atenção do público.

No ano passado, ele recebeu agradecimentos do governador de Porto Rico por montar um sistema de energia solar capaz de fornecer eletricidade para um hospital infantil após a passagem de um furacão.

Apesar de ter colhido elogios em sua intervenção mais recente, outros questionaram suas motivações e insinuaram que ele pode ter sido uma distração para as autoridades.

"Elon Musk é conhecido por buscar as manchetes, mas, para ser honesto, ele só se envolveu neste caso depois de receber uma enxurrada de mensagens de seus fãs no Twitter", disse o correspondente de tecnologia da BBC, Rory Cellan-Jones.

"O fato é que o know-how das empresas de Musk com exploração espacial e com escavação de túneis se mostrou irrelevante desta vez, e isto é um lembrete de que o super-herói da tecnologia nem sempre está à altura do que pensam os fãs", diz ele.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos