Você percebeu? Novo Face ID do iPhone X falhou no primeiro teste

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Apple diz que Face ID será simples como olhar para o celular, mas não foi bem assim

    Apple diz que Face ID será simples como olhar para o celular, mas não foi bem assim

A Apple anunciou o recurso Face ID como um dos grandes destaques do aguardado iPhone X. No entanto, a tecnologia, que permite que seu aparelho seja desbloqueado simplesmente quando você olha para ele, deixou a maçã em maus lençóis já durante seu primeiro teste.

Na primeira demonstração do produto, o recurso falhou por duas vezes seguidas (veja na minutagem 1h35min40s do vídeo abaixo). Quem demonstrou a ferramenta foi Craig Federighi, vice-presidente sênior de engenharia de software da companhia. E o coitado do executivo ficou sem jeito.

"Agora desbloquear é tão fácil quanto olhar para ele", disse primeiramente. Sem sucesso na tentativa, repetiu: "vamos tentar de novo".

E aí foi que tudo ficou pior: apareceu na tela o pedido para colocar o código numérico no iPhone, que costuma aparecer atualmente quando a sua digital não é reconhecida, no caso dos iPhones com o recurso Touch ID.

"Hohoho", tentou disfarçar com uma risada o executivo. Craig, então, limpa seu rosto (maquiagem? Suor?) e aí consegue finalmente desbloquear o smartphone. A apresentação então segue como se nada tivesse acontecido – no fim da demonstração do produto, o executivo ainda desbloqueia o iPhone X seguidas vezes com o Face ID em uma tentativa de apagar a gafe anterior.

Houve quem defendesse que não foi uma falha e simplesmente rotina de sistema - o iPhone exige que o usuário digite a senha sempre que é reiniciado. Contudo, não foi realmente o caso: o executivo em nenhum momento coloca a senha para desbloquear o aparelho, apenas limpa o rosto. 

Três dias depois do problema, a Apple tentou se explicar. Em entrevista ao Yahoo News, um executivo da Apple afirmou que engenheiros manusearam o aparelho antes dele ser levado ao palco e o Face ID acabou travado por não reconhecer os engenheiros. O bloqueio por senha é ativado após seguidas falhas em reconhecer o rosto no Face ID. Craig teria, então, usado um dispositivo reserva, mas isso não fica muito claro no vídeo. 

Não é bem um problema o Face ID falhar – isso já ocorre normalmente com o leitor de digitais. O problema é isso acontecer logo depois da Apple exaltar o quão eficaz é a ferramenta. Segundo a companhia, o reconhecimento facial 3D funcionará mesmo se a pessoa mudar o cabelo, colocar óculos, puser um chapéu ou cachecol e até se deixar a barba crescer.

Por que, então, Craig teve que limpar o rosto quando o recurso falhou se ele é tão eficaz? Resta à maçã torcer para que isso tenha sido só um enorme azar – e ainda dá tempo de aprimorar o recurso até o lançamento do smartphone, em 3 de novembro, daqui quase dois meses.

Mas já há quem se preocupe com a falha. As ações da Apple caíram durante a apresentação da nova linha de iPhones e os analistas apontaram duas razões: a falha no Face ID e o adiamento do início das vendas do novo iPhone X para 27 de outubro.

A Apple precisa agora correr para não passar vergonha com o Face ID – principalmente porque ele é o único recurso para desbloquear o celular além da senha, já que o leitor de digitais foi deixado de lado. A empresa provavelmente não quer reviver as polêmicas do "antennagate" e "bendgate".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos