UOL Testa: Celulares

iPhone 8 Plus: como um celular que parece sem graça pode ser tão excelente?

Gabriel Francisco Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

Se você usou alguma linha do iPhone nos últimos anos, então pegar no iPhone 8 Plus é ter uma sensação de déjà vu. Sem quase nenhuma inovação, o aparelho é praticamente uma versão 7 Plus atualizada para o ano de 2017 a fim de gerar mais vendas e receitas para a Apple. Mas não se engane: isso não é necessariamente algo ruim.

O aparelho da Apple causa sensações mistas em quem já usou qualquer smartphone da maçã nos últimos tempos. A ausência de novidade, vou deixar claro, incomoda. Ao comprar um celular novo (e bem caro), queremos também recursos novos – e você quase não vai encontrar nada disso nele. Mas, ao mesmo, tempo, é possível sair satisfeito porque, no fim das contas, é um poderoso dispositivo.

Veja também: 

Talvez o maior erro da Apple tenha sido no nome do produto. Como 2017 ganhou ares de imensa importância para a companhia por causa dos 10 anos do iPhone, a empresa aproveitou para dizer que "mudava o mundo" com o lançamento do iPhone X (uma meia verdade) e já soltou um iPhone 8. O nome para ele deveria ser 7S, Tim Cook!

Design ultrapassado

São tão poucas as mudanças de verdade do novo modelo que podemos resumir em poucos parágrafos. Em termos de design, a grande modificação é a traseira de vidro do celular. Para muitos, isso deixa o visual mais elegante, mas a verdade mesmo é que o aparelho ficará mais frágil – a Apple, contudo, alega que o vidro é bem resistente.

Reprodução
Parte frontal do iPhone 8 Plus - visual já ultrapassado

O resto do design já é antiquado. Em tempos de tela infinita nos celulares tops de linha de companhias rivais como Samsung e LG com valores iguais ou até inferiores, o iPhone 8 Plus mantém muitas bordas que deixam o aparelho com tela de 5,5 polegadas bem grande. Isso atrapalha demais o uso no dia a dia – ele é também pesado, passando de 200 gramas.

Há ainda mais um ponto negativo no design: as lentes da câmera dupla não estão na mesma superfície do restante da traseira, havendo uma pequena elevação nessa área. Isso é algo que todas as marcas buscam evitar – e a maioria dos tops de linha e até intermediários já conseguiu.

Reprodução
Câmera dupla na traseira do iPhone 8 Plus

Ao menos a tela, que manteve o tamanho da versão anterior, é muito boa para ver vídeos no celular. O display não chega a ser OLED como o iPhone X ou todos os celulares da Samsung e só conta com resolução Full HD, mas as cores são bem vibrantes e com grande qualidade nas imagens. Você não vai achar ruim, te garanto, O novo modo True Tone ainda ajusta a luz da tela de maneira bem mais eficaz ao ambiente.

Câmera espetacular

As câmeras continuam fantásticas. A Apple realiza um trabalho excelente nesse sentido em seus dispositivos, que estão sempre entre os melhores do mercado em termos de câmeras. A versão 8 Plus, por sinal, mudou quase nada da já ótima versão do 7 Plus: tem uma câmera dupla na traseira de 12 MP e uma câmera frontal de 7 MP.

Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Câmera principal do iPhone 8 Plus tem cores vivas

Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Imagem com o objeto em movimento não é problema para o iPhone 8 Plus

A câmera dupla do aparelho é voltada a fazer as fotos no "modo retrato" com o fundo desfocado, função que surgiu no iPhone 7 Plus e já virou moda entre vários aparelhos. O iPhone 8 Plus faz isso com grande excelência – apesar de eu achar o Galaxy Note 8 ainda melhor do que o iPhone para isso. Um recurso legal é que você pode criar vários efeitos com os fundos dessas fotos na edição da própria galeria.

UOL
Modo retrato do iPhone 8 Plus é bom e faz sucesso por aí

Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Efeito que é possível alcançar ao editar foto no modo retrato do iPhone 8 Plus

O contraste de cores e a qualidade das imagens são espetaculares no iPhone 8 Plus, que lida muito bem com locais com iluminações fortes tanto na câmera traseira quanto na frontal. Talvez você só tenha problemas em ambientes com pouca iluminação, principalmente com a câmera de selfie - aí você terá que recorrer ao flash para a foto ficar menos granulada.

Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Câmera de selfie do iPhone 8 Plus é excelente - talvez a melhor do mercado brasileiro

Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Imagens em baixa luminosidade podem ser um problema no iPhone 8 Plus - Apple precisa melhorar isso

O iPhone 8 Plus também consegue se destacar com sua gravação de vídeo a 4K e 60 FPS – mas cuidado porque os arquivos vão ficar bem grandes se você usar esse formato de vídeo. O aparelho também tem uma estabilização ótima tanto para os vídeos quanto para as fotos.

Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Foto de ambientes externos à noite no iPhone 8 Plus ficam bem boas

Desempenho padrão Apple

Se tem uma coisa que com certeza você não vai reclamar, é do desempenho do aparelho. É padrão Apple. O que já era ótimo foi ainda melhorado entre a versão antiga e esta nova: o 8 Plus vem equipado com o processador A11 Bionic, o melhor já feito pela companhia e que também embarca no iPhone X.

O que isso significa? Que o celular, também com 3 GB de RAM, não vai travar e vai rodar as aplicações mais pesadas que você imaginar de forma suave. Isso abrange jogos pesados, realidade aumentada (recomendo experimentar muito essa nova tecnologia no iPhone 8 Plus), câmeras e muito mais...

A única coisa que me incomodou de leve no desempenho foi um problema ao sair de um aplicativo e, quando voltamos a ele, o celular não continuar de onde paramos. Isso aconteceu até em apps básicos como Facebook e Instagram – em celulares tops de linha Android, essa "memória" do app funciona melhor. É possível, contudo, que seja um problema dos aplicativos.

Reprodução
Desempenho do iPhone 8 Plus é espetacular

E se você se preocupa com a bateria de iPhones, pode relaxar nesse modelo. A bateria vai chegar a durar um dia e meio (!) se você fizer um uso moderado do aparelho. E ele conta ainda com a possibilidade do carregamento sem fio, outra novidade dessa linha – mas você terá que comprar um acessório extra, o que já tira grande parte da graça da inovação.

No dia que usei o smartphone mais intensamente, saí de casa às 10h com 95%. Usei ao longo do dia bastante câmeras, localização (dois itens que sugam bastante energia), WhatsApp e redes sociais. Ao reencontrar a tomada às 23h30, ainda havia 20% de bateria. Só não esqueça o fone de ouvido que acompanha o aparelho ou o adaptador como eu fiz: infelizmente, o iPhone não tem entrada para fones de ouvido.

Vale a pena?

É difícil dizer que um celular custando cerca de R$ 4.500 vale a pena. Bem difícil. No caso do iPhone 8 Plus, ainda sabemos que a chance do valor diminuir é bem pequena, já que a Apple não costuma fazer isso - mas também isso manterá seu celular valorizado por mais tempo, se você quiser revender futuramente.

O celular é poderoso e ótimo? Sim. As câmeras são fantásticas? Também. Mas isso também ocorre com celulares rivais, como o Galaxy Note 8 e S8, da Samsung, ou o Sony Xperia XZ Premium, da Sony. Alguns deles estão mais baratos do que o modelo da Apple – e o design do iPhone 8 Plus fica atrás dos modelos da Samsung.

Mas ao menos ter um celular da Apple é excelente porque ele conta com o imbatível sistema iOS. Você provavelmente receberá atualizações do sistema operacional pelos próximos cinco anos, o que aumenta a vida útil do modelo em relação aos concorrentes. E, vamos lembrar, o iPhone X vai custar R$ 7 mil...

Direto ao ponto: iPhone 8 Plus

Tela: 5,5 polegadas Full HD Retina True Tone
Sistema Operacional: iOS 11
Processador: Apple A11 Bionic
Memória: 64/256 GB de armazenamento e 3 GB de RAM
Câmeras: Dupla de 12 MP (principal) e 7 MP (frontal)
Dimensões e peso: 158.4 x 78.1 x 7.5 mm; e 202 g
Bateria: 2.675 mAh
Pontos positivos: câmera, desempenho e sistema operacional
Pontos negativos: preço e design
Preço: R$ 4.500 (64 GB) e R$ 5.400 (256 GB)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos