Para Bill Gates, empresas de tec estão pedindo por intervenção do governo

Do UOL, em São Paulo

  • Yuri Gripas/Reuters

    Opinião de Gates sobre disputa entre Apple e FBI bate de frente com a da Microsoft

    Opinião de Gates sobre disputa entre Apple e FBI bate de frente com a da Microsoft

O cofundador da Microsoft, Bill Gates, disse em entrevista ao site Axios que as empresas de tecnologia estão "pedindo por intervenção do governo ao agir com arrogância e impedindo a ação de instituições governamentais".

Para Gates, os grandes nomes do setor correm esse risco ao defender posições que impedem as instituições de agirem. O antigo chefão da Microsoft citou como exemplos "o entusiasmo da indústria em tornar transações financeiras anônimas e invisíveis" e a decisão da Apple de não desbloquear o iPhone do atirador no atentado em San Bernardino, no começo de 2016.

Falando sobre a disputa entre a Apple e o FBI e a suposta incapacidade da empresa em desbloquear o iPhone, Gates foi taxativo:

"Não é uma questão de habilidade, é questão de querer"

Gates acredita que as empresas devem colaborar com o governo e aceitar pedidos legítimos de supervisão para não correrem o risco de escrutínio e intervenção. O executivo fala com a voz da experiência, afinal a Microsoft já foi alvo de uma investigação do Departamento de Justiça dos EUA, quando tentou monopolizar o mercado de navegadores com o Internet Explorer em 1998.

VEJA TAMBÉM:

Em entrevista ao jornal Financial Times, Bill Gates retomou o tema e pontuou que esse "Foi um caso específico em que o governo pediu acesso a informação. Eles não estão pedindo por uma coisa geral, mas para um caso em particular".

O executivo acredita que a questão do acesso do governo norte-americano à informação do iPhone não é diferente do acesso a ligações telefônicas ou dados bancários das pessoas.

Apple vs. FBI

O tiroteio de San Bernardino, no começo de 2016, iniciou uma disputa judicial entre a Apple e o FBI. Um dos atiradores possuía um iPhone e os investigadores pediram para a Apple desbloquear o aparelho, que estava com o bloqueio via senha ativado. A agência queria que a fabricante do celular criasse um software para destravar o iPhone e sugeriu que não fazer isso seria obstrução da justiça.

A Apple, por sua vez, declarou que é injusto que o governo possa dizer para as empresas fazerem coisas que elas não querem e que o pedido do FBI seria perigoso para os seus consumidores.

Após várias semanas, ordens judiciais e recursos, o FBI conseguiu acesso ao conteúdo do iPhone sem a ajuda da Apple.

Polêmica

A declaração de Bill Gates causou polêmica na comunidade, por ser contrária a do CEO da Apple, Tim Cook, de que criar uma "backdoor" para este iPhone pode abrir um precedente para que o FBI e o governo dos EUA tenham acesso aos celulares de todas as pessoas.

"Espero que nós tenhamos um debate e que travas de segurança sejam construídas para que as pessoas não optem (e isso vai variar de país para país) por dizer que é melhor que o governo não tenha acesso a nenhuma informação", disse Gates.

A posição de Bill Gates também é oposta a da própria Microsoft e de outras gigantes da tecnologia, como Google, Facebook e Twitter.

O executivo esclareceu, em entrevista ao canal de TV Bloomberg, que sua opinião sobre a disputa entre Apple e FBI não representa seu ponto de vista sobre o acesso do governo à informação privada em geral.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

LEIA MAIS

UOL Cursos Online

Todos os cursos