Saiba como as gigantes da tecnologia deram voz a Stephen Hawking

Pablo Raphael

Do UOL, em São Paulo

  • Thimoty A. Clary/AFP Photo

O físico inglês Stephen Hawking era conhecido por ser um cientista extraordinário e por viver confinado em uma cadeira de rodas desde a juventude, devido a uma doença degenerativa, a esclerose lateral amiotrófica. Em 1985, ele perdeu a capacidade de falar, mas com a ajuda da tecnologia, ganhou a voz sintetizada que se tornou uma de suas marcas registradas.

Hawking pegou pneumonia após uma visita ao CERN, organização europeia para a pesquisa nuclear (e onde fica o LHC, o "grande acelerador de partículas") em 1985 e precisou passar por uma traqueostomia para controlar a infecção. Um ano depois, o físico começou a usar um menu controlado por um Apple II para se comunicar.

VEJA TAMBÉM:

O Apple II rodava um programa chamado Equaliser e com ele, Hawking podia clicar nas palavras que depois eram enviadas para o sintetizador Speech Plus. O sistema foi adaptado para usar no braço da cadeira de rodas do físico por David Mason, na época marido da enfermeira Elaine, com quem Hawking se casaria no futuro, e permitia que ele falasse 15 palavras por minuto.

Voz sintetizada

Conhecida como "Perfect Paul", a voz do sintetizador foi criada no instituto de tecnologia de Massachusetts (MIT) e era a voz padrão para homens adultos no DECtalk, um dos primeiros aparelhos de interação por voz.

A voz ficou tão associada ao físico britânico que, quando a banda Radiohead lançou o álbum OK Computer, muitos fãs cogitaram que era Hawking quem recitava a letra de "Fitter  Happier". Mas na verdade, a voz é de Fred Cooper, a voz sintetizada pelo aplicativo SimpleText do Macintosh.

Quando Hawking ganhou um sintetizador novo em 1988, ele não gostou da nova voz e pediu para instalarem Perfect Paul de volta. "Eu não ouvi outra voz que eu gostasse mais e me identifico com ela", contou o cientista em 2006.

Numa ação beneficente em março de 2017, Stephen Hawking cogitou mudar de voz. Várias celebridades ofereceram suas vozes para o físico. Era tudo parte de um esquete de comédia e Hawking teve que escolher uma voz entre candidatos como Bill Gates, Liam Neeson, John Boyega, Miss Piggy e o chef boca suja Gordon Ramsay, entre outros.

Parceria com a Intel

Em 1997, o cientista conheceu o cofundador da Intel, Gordon Moore, que se ofereceu para ajudar o cientista a se comunicar melhor.

Em 2011, a saúde de Hawking deteriorou e ele só conseguia comunicar uma ou duas palavras por minuto. Quando começou a perder os movimentos do polegar, Hawking passou a usar os movimentos da bochecha para se comunicar.

Foi quando ele começou a usar o programa EZ Keys, que trazia um teclado virtual, um algoritmo de previsão de palavras e acesso facilitado para aplicativos do computador, além do Firefox, Notepad e Skype.

Em 2014, após algumas tentativas e erros, a parceria com a Intel resultou no ACAT (Assistive Context-Aware Toolkit), sistema que o cientista definiu como uma "mudança de vida".

O sistema usava um sensor infravermelho nos óculos do físico para detectar movimentos da bochecha e, com isso, ativar uma série de sugestões de palavras e frases. A Intel, junto com a startup britânica SwiftKey, conseguiu reduzir o número de caracteres que Hawking tinha que selecionar antes de uma palavra ser sugerida, o que acelerou em dez vezes a execução de tarefas simples.

AP/Elizabeth Dalziel-File
A ACAT foi uma verdadeira revolução na vida do físico britânico, que passou a se comunicar com mais facilidade.

Segundo Hawking explicou em seu site, o programa tem um algoritmo de previsão de palavras, treinado nas leituras e livros dele. "Eu só preciso selecionar os dois primeiros caracteres antes de escolher a palavra inteira. Após montar a sentença inteira, eu a envio para o sintetizador de voz".

Fundada em 2008, a SwitfKey é bem conhecida pelos teclados virtuais usados em smartphones Android. Em 2016, a startup foi comprada pela Microsoft, que pagou US$ 250 milhões pela empresa.

Desde 2015, o ACAT pode ser baixado sem custo algum para quem precisar. O software é aberto para que qualquer pessoa com conhecimentos de informática poder construir um sistema semelhante (ou até melhor) do que o usado por Stephen Hawking. Para rodar o ACAT, é preciso um computador com Windows XP ou superior, uma placa de som e uma câmera - afinal, o programa usa os movimentos faciais para ativar os comandos.

O sistema de comunicação utilizado por Stephen Hawking em sua cadeira de rodas era abastecido pelas baterias da cadeira, além da bateria interna do computador, um notebook Lenovo. Confira as configurações usadas pelo cientista:

  • Lenovo Yoga 260
  • CPU Intel Core i7-6600U
  • Disco rígido: 512 GB
  • Windows 10
  • ACAT

Apesar das melhorias no software, Stephen Hawking usou o mesmo sintetizador Speech Plus CallText 5010 de 1988 até a sua morte.

A Intel publicou uma homenagem ao cientista em sua página no Facebook, onde fala também sobre o ACAT. Confira:

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

LEIA MAIS

UOL Cursos Online

Todos os cursos