Waze x Google Maps: qual aplicativo é o melhor para fugir do trânsito?

Gabriel Francisco Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

  • Fedotov Anatolyty/Getty Images

    Aplicativos viraram grandes parceiros do motorista

    Aplicativos viraram grandes parceiros do motorista

Quem vive no trânsito das grandes cidades costuma ter um grande amigo: o aplicativo de navegação. Já faz alguns anos que eles vieram para nos salvar dos congestionamento - ou, pelo menos, dar uma leve aliviada. Mas qual é o melhor: Google Maps ou o Waze? Já se perguntou?

No Brasil, o app mais popular entre os motoristas é o Waze – não à toa, ele tem no país um de seus principais mercados. Desde que foi lançado, fez tanto sucesso que o programa de origem israelense foi comprado pelo Google, dono obviamente do Maps.

E é exatamente por isso que há pouca diferença entre ele e o Maps quanto ao trânsito.

Veja também: 

Pois é: você pode até confiar que o Waze é mais "competente" para te tirar do trânsito, mas na prática os aplicativos são bem semelhantes entre si e compartilham grande parte dos principais dados. Isso quem diz são as próprias empresas.

Google Maps: mais completo

Reprodução
Google Maps é aplicativo mais completo para o usuário

Você pode até achar que o Waze é melhor para fugir do trânsito por te dar caminhos que você não estava familiarizado. Mas, segundo a assessoria de imprensa das duas empresas, a rede do Google Maps engloba dados de incidentes enviados por usuários do Waze desde 2013, quando a empresa foi adquirida pelo Google.

Diz a Google:

Waze e Google Maps compartilham dados, mas cada plataforma utiliza suas informações de formas diferente. O Maps nem sempre usará todo o conteúdo do Waze e vice-versa. Maps tem suas próprias informações de trânsito, além de parcerias com instituições para analisar possíveis congestionamentos

Na prática, então, o status do trânsito exibido pelos dois aplicativos é muito parecido.

Um estudo recente, inclusive, apontou que o Google Maps é o mais eficiente entre os apps de transporte. Artur Grabowski, gerente da Adobe, conduziu a pesquisa que analisou 120 viagens e notou que o Waze até aponta inicialmente um tempo menor de viagem, mas que o Google Maps é mais preciso e, ao fim, o deslocamento é mais rápido.

Pesa a favor do Google Maps o fato de ele ser muito mais completo. A ferramenta do Google não é voltada apenas aos motoristas: oferece rotas para quem usa o transporte público, para pedestres e ciclistas e também informações sobre estabelecimentos comerciais, locais para estacionar o veículo e visões do Street View.

Waze: comunidade e design para motoristas

Divulgação
Waze oferece serviço dedicado a motoristas

Por outro lado, não é à toa que o Waze é o queridinho dos motoristas. Seu design voltado somente para o trânsito, sem dividir a tela com mais funções, como o Google Maps, é muito funcional para quem dirige: à sua frente está a rota, o tempo de chegada, postos de combustíveis e nada muito além disso.

Outro ponto forte do aplicativo é o senso de comunidade: motoristas acabam se sentindo importantes ao apontarem problemas na rota.

O poder do Waze está em sua comunidade. Os chamados de Wazers têm um papel fundamental na sua comunidade ao reportarem acidentes, fechamentos de ruas, e se sentem orgulhosos de poder ajudar uns aos outros

Leandro Esposito, country manager do Waze para o Brasil

Os dados enviados pelos motoristas, contudo, são compartilhados com o Google Maps – então quem usa o aplicativo do Google também usufrui disso.

Há quem critique o Waze por suas rotas que dão muitas voltas ou acessam ruas alternativas nem sempre úteis, mas o aplicativo dá sempre a opção de três rotas diferentes quando você define um local para seguir – e todo o trajeto é disponibilizado para o usuário escolher.

Outra crítica é de que o app tem errado mais no tempo que a viagem vai durar. Esse ponto foi abordado no estudo de Grabowski, que concluiu que o Waze subestima o tempo de chegada em 11%, contra 2% para cima do Google Maps e 1% para baixo do Maps da Apple (no app da Apple, no entanto, o tempo estimado é mais alto).

Outros problemas, como "congelamento" da parte onde aparecem quilômetros e tempo até o destino, demora para fazer cálculo da rota e a retirada da opção de rota mais rápida das configurações (motoristas dizem que as destacadas nem sempre são as melhores opções), também são citados por pessoas que costumam usar o Waze, mas a empresa não deu explicações quando foi procurada.

Configurações

  • 51913
  • true
  • http://tecnologia.uol.com.br/enquetes/2018/05/24/qual-aplicativo-voce-prefere-para-fugir-do-transito.js

Os dois aplicativos têm customizações parecidas, mas alguns recursos variam e podem ser mais úteis de acordo com seu perfil.

No Waze, além de mudanças no design e na voz, o motorista pode selecionar que tipo de veículo dirige: táxi, moto ou carro comum. A opção faz muita diferença em cidades como São Paulo, onde taxistas, por exemplo, podem andar na faixa de ônibus.

O app ainda oferece opções como evitar pedágio, via expressa e balsas e reduzir conversões difíceis – no Maps, as opções são para evitar estradas, pedágios e balsas.

O Waze dá a opção de definir se o usuário quer passar em vias não pavimentadas – existem as opções "permitir", "não permitir" e "evitar as mais longas". E avisa sobre radares também nas cidades e estradas. 

É possível também cadastrar a placa para que o Waze te guie de forma diferente em dias de rodízio para que o usuário não leve multa nas ruas restritas a seu emplacamento. O Maps, por sua vez, pode ser baixado para ser usado offline - o Waze precisa de conexão. 

No Waze, ao selecionar um destino, é possível, além de mudar a rota, escolher o melhor horário para sair com base na média de trânsito diária. O Maps também dá previsões de tempo de deslocamento de acordo com o horário de saída.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos