UOL Notícias Tecnologia

07/03/2012 - 18h03 / Atualizada 07/03/2012 - 21h55

Novo iPad vem turbinado para games e vídeo

Marion Strecker
Do UOL, em San Francisco (EUA)

A Apple, a empresa mais secreta do que a CIA, apresentou hoje no centro de arte contemporânea Yerba Buena, em San Francisco, Califórnia, o seu mais novo “brinquedinho”: o iPad de terceira geração chamado simplesmente de “o novo iPad”. Ele não ganhou o nome de iPad 3 nem de iPad HD, como se vinha especulando.

As grandes diferenças desta terceira geração de iPad são o chip e a resolução da tela, turbinados para dar ao equipamento capacidade de tirar clientes do XBox 360, da Microsoft, e do Playstation, da Sony. Turbinados também para servir melhor à criação de música, fotos e vídeos, com edição multitoque e muitos novos recursos.

A nova tela se chama Retina e tem definição de 2048 por 1536 pixels, o que resulta em 3,1 milhões de pixels (elementos pictóricos), ou seja, provavelmente a melhor resolução do mercado. A saturação é 44% maior que a versão anterior. O chip é A5X  com quatro núcleos, o dobro do anterior. A câmera traseira tem 5 megapixels e é possível filmar em alta definição (1080p). Vai ter versão com chip 4G LTE, a nova velocidade de transmissões de dados por telefonia móvel, possivelmente realizando o sonho de quem quer ver vídeos sem ter de esperar o carregamento.

O novo iPad também poderá funcionar como um bom hotspot pessoal (exige contrato com empresa de telefonia), coligando até cinco equipamentos diferentes à Internet.

O aparelho virá em preto ou em branco. As encomendas podem ser feitas a partir de hoje e a entrega começará em 16 de março nos EUA, Canadá, Japão e outros países da Ásia e Europa. Uma semana depois chegará a 25 países, mas ainda não há previsão para o Brasil.
Os preços vão variar de US$ 499 (16 GB e Wi-Fi) até US$ 829 (64 GB, Wi-Fi + 4G). O preço do iPad2 cairá para U$ 399 (só Wi-Fi) até US$ 529 (Wi-Fi + 3G).

Na faixa de US$ 399, a empresa acredita que muitas escolas americanas vão adotar mais rapidamente os iPads em sala de aula. A escola em que minha filha de 13 anos estuda aqui em San Francisco é uma das que já começaram a experiência de dar um iPad para cada professor e aluno.

Outras novidades apresentadas no evento foram que Siri vai falar japonês, que o iCloud vai funcionar para vídeos e que muitos softwares ganharam atualização, destaque especial para o iPhoto e o GarageBand.

Novo iPad surpreende com tela de altíssima definição; assista

Siri é o nome do software que funciona como um assistente pessoal e foi o grande diferencial do iPhone 4S, o mais recente. iCloud é o sistema de armazenamento de dados da Apple na internet, feito para facilitar a sincronização do conteúdo de todos os seus aparelhos da Apple, além de compartilhar conteúdo com terceiros.

Tim Cook, o principal executivo da Apple, subiu ao palco de azul escuro, sob aplausos, e começou falando dos 315 milhões de aparelhos que usam o sistema operacional da Apple, o iOS, e de como o iPad é o símbolo do mundo pós PC.

“Quando criamos o iPad, criamos não apenas um novo produto, mas uma nova categoria, e dissemos que para fazer isso, o iPad teria de ser o melhor aparelho para fazer as coisas que você faz com mais frequência, como navegar na internet ou checar e-mails”, disse Tim Cook. Agora o novo iPad eleva o aparelho a um patamar superior na imersiva experiência dos games e das imagens em geral.

O que não mudou foi a capacidade de armazenamento de dados (16, 32 ou 64GB), a bateria (10 horas em 3G ou 9 horas em 4G), nem a falta de uma porta USB.

A empresa aposta muito no iCloud, o sistema de armazenamento de dados na internet, de modo a que todos os seus aparelhos Apple fiquem sincronizados o tempo todo e possam compartilhar as compras de aplicativos, jogos, músicas e filmes que são feitas nas lojas virtuais da Apple.

O dia começou com o site da Apple for a do ar e em seguida no ar de novo, anunciando ter alcançado a marca de 25 bilhões de downloads de aplicativos. Yelp, e-Bay, Instagram, Guitar Hero, Angry Birds entre os logotipos com mais destaque num fundo infinito, simbolizando a abertura controlada (pero no mucho) da empresa para desenvolvedores externos.

O iPhone e o iPad são os maiores sucessos mundiais da história da telefonia móvel e da computação.

A boa notícia é que os preços dos excelentes iPad 1 (sem câmera) e iPad 2 (com câmera) vão cair abruptamente no mercado secundário. E continuam sendo equipamentos incríveis.

Segundo recente pesquisa do PriceGrabber, 42% dos proprietários de iPad vão comprar o novo modelo. A pesquisa entrevistou 1.842 compradores online nos EUA e foi feita entre 23 de fevereiro de 2 de março.

A configuração do novo iPad

Processador A5X (dual-core). O processador gráfico é quad-core
Tela Tela Retina de 9,7 polegadas com resolução de 2048 x 1536 pixels (ou 264 pixels por polegada)
Peso 662 gramas (Wi-Fi + 4G) e 652 gramas (Wi-Fi)
Câmera 5 megapixels, com foco automático, detecção de rostos e gravação de vídeos em alta definição
Internet Suporte à conexão 3G e 4G
Duração da bateria 10 horas com uso normal e 9 horas ligado no 4G
Preço US$ 499 (16GB), 599 (32GB) e 699 (64GB); aparelhos com 4G custarão US$629 (16GB), 729 (32GB)e 829 (64GB)

Eventos mágicos

Este foi o primeiro grande evento da empresa depois da morte do seu singular co-fundador, Steve Jobs, em outubro passado. Jobs era um mestre em aparições de grande impacto. Os eventos da Apple são planejados meticulosamente, da luz ao cenário, do texto às músicas e filmes, o volume, o silêncio, tudo ensaiado como um bom espetáculo. Comunicar o produto é tão importante quanto o produto. iPod igual a mil músicas no bolso, iPad igual ao começo da era pós-PC.

Frequentemente Jobs era ovacionado como um pop star nesses lançamentos, embora isso não impedisse críticas contundentes nem quedas pontuais no preço das ações da empresa.

O substituto

Não é fácil para Tim Cook substituir um cara desses, exemplo acabado de um “narcisista produtivo”, enquanto Tim parece ser apenas um “obsessivo”, segundo as categorias de executivos definidas pelo psicoterapeuta Michael Maccoby.

Tim, 51, cresceu no Alabama, é engenheiro industrial e está na Apple desde 1998, onde antes cuidava da área de área de logística e fornecedores externos. Ele não tem o carisma nem as pretensões artísticas do antecessor, mas está segurando a peteca do sucesso comercial da empresa como CEO desde agosto passado. Mesmo com as revelações das humilhantes condições de trabalho dos operários que montam os iPads na China, em fábrica da Foxconn. Essas revelações, em reportagens do “The New York Times” no começo deste ano, fizeram a empresa reagir, contratando auditoria externa para forçar a melhora da situação e limpar a imagem da Apple.

Tim vinha sendo treinado no timão da Apple nas sucessivas licenças médicas que Jobs precisou tirar para se tratar do câncer que acabou com ele.

Mas Tim e seus colegas na Apple parecem ter conseguido encantar a plateia no Yerba Buena hoje.

A Apple é hoje a maior empresa do mundo em valor de mercado. Em maio de 2010 havia ultrapassado a Microsoft como mais valiosa empresa de tecnologia do mundo. Ontem, seu Market Cap era de US$ 494,40 bilhões, contra US$ 264,77 bilhões da Microsoft e US$ 196,69 bilhões do Google.

O valor de suas ações tem oscilado ao sabor das especulações, mas a trajetória desde o lançamento do iPhone, em 2007, é impressionante. Fechou ontem a US$ 530,26 depois de ter atingido US$ 545,18 dois dias antes. No começo de dezembro, estava na casa dos US$ 380. Antes do iPhone, em 2006, estava abaixo dos US$ 100. Depois do iPad, lançado em abril de 2010, ficou acima dos US$ 250 para subir e subir.

A Apple vendeu 14,8 milhões de iPads no ano do seu lançamento, 2010, abocanhando 75% do mercado de tablets no final daquele ano.
O iPad2 saiu em março do ano passado e foi um sucesso ainda mais estrondoso. A estimativa é que a Apple tenha abocanhado 83% do mercado de tablets nos EUA no ano passado.

O novo iPad é apenas a continuação da história.

As maiores críticas que a Apple sempre recebe são contra seu sistema fechado de computação, em que hardwares e softwares se relacionam intimamente em sistemas bastante protegidos, embora não 100% imunes aos problemas exteriores.

O maior valor é tornar a vida mais simples e divertida para quem usa Apple. Mas esse valor tem geralmente um preço bem mais alto do que seus concorrentes no mercado. Sem falar que é uma filosofia monopolista.

Veja mais

Últimas Notícias

Hospedagem: UOL Host