Lâmpadas de LED duram décadas e economizam energia, mas preço alto afasta consumidores

Por David Pogue

  • Getty Images

    As lâmpadas de LED duram por décadas, economizam energia elétrica, não quebram, não queimam sua mão, ajudam economizar centenas de dólares (e agora oferecem preços melhores e recursos muito legais)

    As lâmpadas de LED duram por décadas, economizam energia elétrica, não quebram, não queimam sua mão, ajudam economizar centenas de dólares (e agora oferecem preços melhores e recursos muito legais)

As pessoas, às vezes, têm problemas em fazer pequenos sacrifícios no presente que irão recompensá-las generosamente no futuro. Quantas vezes ignoramos conselhos para adotarmos algumas mudanças em nossa dieta e nossa rotina de exercícios para que possamos viver uma vida mais longa e saudável? E quantas vezes ignoramos aqueles conselhos que recomendam economizar algum dinheiro para termos um bom pé de meia no futuro? Intelectualmente, nós entendemos tudo isso – mas a gratificação instantânea é uma força poderosa.

Mas você não precisa ser um desses caipiras autossabotadores. Comece por comprar lâmpadas de LED (Light Emitting Diode, em inglês, ou diodo emissor de luz).

Você provavelmente já viu lanternas de LED, o "flash" de LED das câmeras dos celulares e as luzinhas de LED dos equipamentos eletrônicos. Mas lâmpadas de LED para serem utilizadas em luminárias e nos soquetes de luz da sua casa demoraram para chegar, principalmente devido a seu preço elevado: seus circuitos eletrônicos e recursos para reduzir a emissão de calor fizeram com que elas ficassem muito caras – muito mais caras do que outros tipos de lâmpadas.

Isso é uma pena, porque as lâmpadas de LED representam uma melhoria gigantesca em relação às lâmpadas incandescentes – e até mesmo em relação às lâmpadas fluorescentes compactas (ou CFLs, do termo inglês "compact fluorescents", aquelas lâmpadas todas enroladinhas), que o mundo passou vários anos nos aconselhando a comprar.


As lâmpadas de LED duram aproximadamente 25 vezes mais do que as lâmpadas incandescentes e três vezes mais do que as lâmpadas fluorescentes compactas – estamos falando, talvez, de 25 mil horas a mais de luz. Instale uma hoje e, quando ela queimar, você pode não estar mais morando na sua casa nem estar vivo para trocá-la (na verdade, as lâmpadas de LED geralmente não queimam; elas ficam só mais fraquinhas).

Você sabe como as lâmpadas incandescentes esquentam. Isso porque elas convertem apenas de 5% a 10% da energia elétrica em luz. Elas desperdiçam o restante na forma de calor. As lâmpadas de LED são muito mais eficientes. Elas convertem 60% da energia elétrica que consomem em luz. Por isso, elas consomem muito menos energia elétrica. Você paga menos e polui menos.

Mas espere! Tem mais: as lâmpadas de LED também alcançam seu brilho total instantaneamente e elas podem ser reguladas por meio de "dimmers". A cor da luz é maravilhosa: você pode escolher as lâmpadas de cor mais branca ou as de cor mais quente. Elas também são robustas. É difícil quebrar uma lâmpada de LED. Mas, se o pior acontecer, um revestimento especial impede que cacos voem e se espalhem pelo ambiente.

Preço caro, mas caindo

No entanto, apesar de todas essas vantagens, poucas pessoas instalam luzes de LED em casa. O pessoal nunca vai além da pergunta e da exclamação: "US$ 30 por uma lâmpada? Isso é loucura!" Não importa o fato de que eles economizarão cerca de US$ 200 para substituir as lâmpadas que vão queimar, fora a economia em energia elétrica ao longo de 25 anos (talvez você consiga economizar ainda mais caso a fornecedora de energia elétrica, nos Estados Unidos, ofereça descontos para a utilização de lâmpadas de LED).

Mas com certeza deve haver uma faixa de preço que torne todos esses cálculos menos desanimadores. E se cada lâmpada de LED custasse apenas US$ 15? Ou US$ 10?

Bom, adivinhem! Nós chegamos lá. Agora as lâmpadas de LED custam menos de US$ 10.

E esse não é o único avanço recente a ser observado no mundo do LED. A luz de uma lâmpada de LED não tem que ser branca. Várias empresas já fabricam lâmpadas de LED que podem ter da cor que você quiser.

Eu testei várias lâmpadas de LED – o equivalente a quase toda iluminação da Times Square, além de kits de seis fabricantes. Espero que as breves análises abaixo consigam lançar alguma "luz" sobre a mais recente novidade para o setor de iluminação residencial.

Lâmpadas de LED 3M Advanced – Na maioria das lâmpadas de LED, pequenas aberturas para a dissipação de calor enfeitam a haste (o vidro de uma lâmpada de LED nunca fica quente, mas o circuito sim. E quanto mais fria for a lâmpada, maior a sua eficiência). Como resultado, a luz irradia somente a partir do topo da lâmpada.

  • Divulgação

    Lâmpadas de LED 3M Advanced

Mas essas pequenas aberturas das lâmpadas da 3M são pequenas o suficiente para permitir que você obtenha uma luz linda e multidirecional.

No entanto, essas lâmpadas têm uma aparência esquisita: seu vidro é revestido por estranho material reflexivo e elas apresentam fendas bastante curiosas. Mas você não precisará se preocupar com a estética, caso a lâmpada fique escondida em um abajur ou luminária. No entanto, o preço de US$ 25 por unidade é desnecessariamente elevado. Continue lendo.

Lâmpadas de LED Cree – As novas lâmpadas de LED residenciais da Cree, disponíveis na Home Depot, custam a partir de US$ 10 a unidade ou US$ 57 por um pacote de seis. Elas estão entre as lâmpadas de LED mais baratas do mercado.

  • Divulgação

    Lâmpadas de LED Cree

A lâmpada de US$ 10 fornece iluminação equivalente à de uma lâmpada incandescente de 40 watts. A lâmpada Cree com potência equivalente a uma de 60 watts normal custa US$ 14 (o modelo "luz do dia" ou de luz branca) ou US$ 13 (o modelo que fornece uma luz mais quente).

A ótima notícia sobre essas lâmpadas é que sua aparência é quase idêntica à das lâmpadas incandescentes. A Cree diz que suas lâmpadas são extraordinariamente eficientes: sua versão de "60 watts" de luz branca consome apenas nove watts (em comparação a 13 watts da lâmpada da 3M, por exemplo). Como resultado, essa lâmpada é mais fria e, por isso, seu dissipador de calor é muito menor e mais bonito.

  • Divulgação

    Lâmpada Torchstar

Torchstar – Essas lâmpadas que mudam de cor (disponíveis na Amazon) custam de US$ 10 (por uma lâmpada para spot de trilho) a US$ 23 (por uma lâmpada mais multidirecional). Cada uma vem com um controle remoto achatado de plástico que pode ser usado para diminuir a iluminação, ligar e desligar as luzes – ou para mudar sua cor (o controle remoto possui 15 botões de cores). Você também pode fazer as lâmpadas pulsarem, piscarem ou piscarem freneticamente como uma luz de balada – o que é totalmente irritante.

As lâmpadas TorchStar nunca ficam totalmente brancas – elas emitem apenas um azul pálido – e não são muito brilhantes. Mas você já entendeu: as lâmpadas de LED podem fazer mais do que apenas ligar e desligar e emitir uma cor branca.

Philips Hue – Por US$ 200 você recebe uma caixa com três lâmpadas de cabeça chata e um transmissor de plástico redondo, que é conectado a seu roteador de rede. Dessa forma, você pode controlar o brilho e as cores dessas lâmpadas usando um aplicativo para iPhone ou para celulares que rodam Android – a partir de sua própria casa ou da internet, manualmente ou com hora marcada.

  • Divulgação

    Philips Hue

A Philips Hue oferece ícones para combinações predefinidas, como "Sunset" (todas as três lâmpadas são da cor laranja) e "Deep Sea" (cada lâmpada tem uma cor diferente do "fundo do mar"). Você também pode criar suas próprias combinações de cor para fazer as lâmpadas reproduzirem os tons de uma foto que você goste, por exemplo. Você também pode usar o recurso "dimmer" em qualquer lâmpada Philips Hue ou apagar todas elas de uma só vez usando seu celular (lâmpadas adicionais, para conectar até 500 unidades, custam US$ 60 cada)

A Philips recebe o crédito por ter feito algo novo com a tecnologia LED. A lâmpada da cor branca é pura e brilhante, e é bem divertido exibi-las para seus convidados. Mesmo assim, infelizmente, a novidade é esquecida bem depressa.

  • Divulgação

    Insteon

Insteon – Esse kit (US$ 130 pelo transmissor, US$ 30 por cada lâmpada com potência equivalente a 60 watts) é muito parecido com o da Philips, exceto pelo fato de não promover mudança de cor. Com o kit da Insteon, você só usa o aplicativo do celular para controlar as luzes brancas – individualmente ou em conjunto. O impressionante dessa lâmpada é que cada uma consome apenas 8 watts. Se quiser, você pode criar um sistema de até 1.000 lâmpadas – mas só se você for louco.

Infelizmente, a versão de pré-lançamento que eu testei foi um desastre. A instalação me deu a maior dor de cabeça. Eu tive que me inscrever e criar uma conta. As instruções faziam referencia a botões que não existiam. Era necessário "emparelhar" cada lâmpada com o transmissor individualmente. Uma vez emparelhadas, as lâmpadas com frequência saiam totalmente da rede. Ufa!

Solução Greenwave – Esse kit, que também permite que você controle suas luzes de LED, não altera as cores, mas você recebe quatro lâmpadas – e não três – com o kit de US$ 200. Você também ganha um transmissor de rede e um controle remoto que não requer nem rede nem smartphone. Dá para criar um sistema com até 500 lâmpadas (e cada uma custa razoáveis US$ 20). Configurar o controle remoto pela internet é fácil.

  • Divulgação

    Kit da Greenwave

O aplicativo é elegante e poderoso. Tem configurações prontas, como "Home", "Away" e "Night", que desliga todas as luzes da casa com um toque. Você também pode programar seus próprios horários, grupos de lâmpadas e níveis de escurecimento.

Infelizmente, a potência dessas lâmpadas só chega a "40 watts". Pior ainda, cada uma tem uma tampa estranha sobre seu corpo. Em outras palavras: a luz só sai de uma estreita faixa em torno de cada lâmpada. Eles não são multidirecionais.

A conclusão: escolha as lâmpadas da Cree por sua qualidade superior e pelo preço baixo, as Philips Hue para impressionar seus convidados ou o sistema GreenWave para conseguir controlar todas as luzes de sua casa via controle remoto.

Ao definir novos padrões de brilho por watt, que a tecnologia das lâmpadas incandescentes – que existe há 135 anos – não consegue oferecer, o governo federal dos Estados Unidos já proibiu as lâmpadas incandescentes. E boa viagem às lâmpadas fluorescentes compactas, com aqueles ridículos tubos enroladinhos e produtos químicos perigosos.

As lâmpadas de LED duram por décadas, economizam energia elétrica, não quebram, não queimam sua mão, ajudam economizar centenas de dólares -- e agora oferecem preços ''em queda livre'' (nos Estados Unidos) e recursos muito legais. Por que, então, não gostar delas? Você teria que ser muito burro para não perceber que a luz de LED é o futuro.

Tradutor: Cláudia Gonçalves

Últimas de Tecnologia

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos