Reinaldo Canato/UOL

UOL Testa: Celulares

Xperia XA1 une bom hardware e "boa pegada", mas tem bateria modesta

Guilherme Tagiaroli

Do UOL, em São Paulo

As telas de smartphone não param de crescer. Quase sempre quanto maior, melhor a qualidade do display e melhor as características do smartphone. Porém, como fica a vida de quem tem mão pequena? Nesse cenário, surge o Xperia XA1, da Sony, um aparelho com especificações de respeito e que, com certeza, vai caber em sua mão.

O modelo é uma evolução do Xperia XA, lançado o ano passado pela Sony. As principais qualidades do smartphone são seu tamanho compacto e as boas especificações de hardware. Já os defeitos ficam por conta da baixa resolução da tela, o preço comparado a seus concorrentes e a mesma capacidade de bateria de seu antecessor. Ele tem preço sugerido de R$ 1.700, mas pode ser achado em algumas lojas por cerca de R$ 1.400. A seguir, minhas impressões sobre o uso do aparelho durante uma semana:

Design quadradão, porém bom de pegada

O Xperia XA1 é meio quadradão, o que segue a linha dos aparelhos da marca. A tela tem 5 polegadas e resolução HD (720p) – o que é um pouco frustrante, pois vários concorrentes da categoria intermediária têm tela Full HD. A touchscreen não deixa na mão: em joguinhos que exigiam arrastar o dedo pelo vidro, ela obedece bem os comandos.

Agora, chama a atenção o fato de o dispositivo não ter uma tela que ocupa toda a área frontal. Isso na prática quer dizer que ele é bom de pegada até para quem tem mão pequena. Por exemplo, deu para manusear tranquilamente o aparelho enquanto estava no transporte público com apenas uma das mãos.

UOL

Algo que me incomodou foi a "moldura" na parte frontal do dispositivo. O display ocupa todo o espaço horizontal frontal, porém a parte vertical conta com grandes espaços "inúteis", uma vez que os comandos padrão do Android (home, voltar, etc) ficam na tela. Há quem possa gostar desse espaço, pois permite segurar o smartphone enquanto visualiza vídeos --  sem executar comandos aleatórios ao tocar na tela.

Menos é mais

A tendência do Android quase puro segue nos aparelhos mais novos da Sony. O único problema, como acontece com boa parte dos Androids, é que não é possível apagar alguns apps de fábrica, como Notícias, E-mail, entre outros. A boa notícia é que não são muitos aplicativos e que a quantidade de bloatware (como são vulgarmente chamados os apps pré-instalados) já foi muito maior nos dispositivos.

Hardware de respeito

O processador de oito núcleos da MediaTek aliada à memória RAM de 3 GB seguraram bem o tranco durante o uso. Games que exigem baixa capacidade de processamento, como Altered Beast, da Sega, rodaram bem. Opções que exigem alta capacidade de processamento (como os jogos de corrida Need for Speed e Asphalt) também foram bem executadas, sem lags (atrasos) ou travamentos.

No benchmark Greekbench, o smartphone Xperia XA1 pontuou 814 na análise Single-Core e 3.629 na Multi-Core. Ele tem números superiores ao LG K10 Novo, Moto G5 e ao Galaxy J7 Prime. No entanto, perde para o Moto G5 Plus.

O armazenamento de 32 GB segue o padrão da categoria. É o suficiente para uso moderado – apagando com alguma frequência algumas fotos e arquivos recebidos via WhatsApp. Porém, caso seja pouco para você, é possível aumentar em até 256 GB com cartão de memória.

Como diferencial, ele vem com rádio FM. No entanto, não vai dar para escutar se você não tiver um fone de ouvido – a unidade testada pelo UOL Tecnologia não veio com um fone. Outro ponto que deve ser observado é que ele é carregado via USB-C, o novo padrão de conexão usado nos aparelhos mais novos. É bom, pois é mais seguro e um pouco menos complicado (não existe, por exemplo, um lado certo para conectar no smartphone). Como desvantagem está o fato que você não encontrará pessoas com esse carregador em qualquer lugar.

Bateria: mesma capacidade do antecessor

Ainda que seja uma evolução do Xperia XA, o Xperia XA1 tem a mesma capacidade de seu antecessor: 2.300 mAh – não é incomum ver concorrentes, como o Galaxy A5 (2017) que tem 3.000 mAh.

Durante os testes, ela apresentou uma autonomia de quase um dia. Na prática, saí de casa às 8h30 e a bateria só foi zerar umas 22h. Neste tempo, ouvi música por streaming usando conexão 3G, acessei bastante as redes sociais (sobretudo o Facebook, que costuma gastar bastante bateria) e ainda joguei um pouco.

Ainda que tenha uma duração aceitável, a baixa capacidade pode ser um problema a longo prazo. Conforme a bateria é desgastada, ela costuma descarregar cada vez mais rápido.

Uma boa câmera

A Sony deu destaque à sua câmera, tanto é que tem um botão para acesso rápido ao aplicativo. O sensor principal tem 23 megapixels e tira fotos boas: o balanço de cores é correto e o auto-foco em cenas bem aproximadas é bom.

Guilherme Tagiaroli/UOL
Imagem de cachorro tirada como Xperia XA1, da Sony

Em fotos de paisagem, não espere muita profundidade de campo – se você der um zoom em algum item um pouco mais afastado, vai ver que ele está desfocado. Isso é um problema? Não se você não precisa desse tipo de captura.

Gabriel Francisco Ribeiro/UOL

Tirar fotos no escuro leva um pouco mais de tempo. Isso porque no modo automático o sensor tenta adaptar os recursos do sensor principal para se adequar à situação. De modo geral, as fotos saem apenas satisfatórias – está de acordo com modelos nesta categoria e faixa de preço.

Guilherme Tagiaroli/UOL

Já a câmera de selfie tem 8 megapixels. Ela dá para o gasto. O único problema é tentar tirar fotos em locais com muitas fontes de luz. Existe grande chance de as cores ficarem lavadas, meio esbraquiçadas.

Guilherme Tagiaroli/UOL
Imagem da câmera de selfie do smartphone Xperia XA1

E aí, vale a pena?

O smartphone tem preço sugerido pela marca de R$ 1.699. Porém, é facilmente possível encontrar ele por volta de R$ 1.400 em varejistas. Como já foi dito algumas vezes aqui, a Sony tem o costume de praticar preços altos no país, enquanto aparelhos equivalentes contam com características bem superioras – o Galaxy A5 (2017), por exemplo, tem o mesmo preço sugerido e tem 3.000 mAh de bateria contra 2.700 mAh da opção da marca japonesa.

No fim das contas, o Xperia XA1 pode ser mais interessante para quem busca ergonomia, quer algo melhor que um aparelho básico e que tenha uma grana a mais para gastar. Agora, se tamanho para você não é um problema, há opções interessantes com faixa de valor equivalente, como o já citado Galaxy A5 (2017) ou o Moto G5 Plus, que tem até preço menor.

Ficha técnica: Sony Xperia XA1

Tela: 5 polegadas HD (720 p)
Sistema Operacional: Android 7.0 Nougat
Processador: Octa-core de 64 bits MediaTek Helio P20
Memória: 32 GB de armazenamento (cartão de memória de até 256 GB) e 3 GB de RAM
Câmeras: 23 MP (principal) e 8 MP (selfie)
Dimensões e peso: 145 x 67 x 8 mm; 143 gramas
Bateria: 2.300 mAh
Pontos positivos: ergonômico, bom conjunto de câmeras e processador esperto
Pontos negativos: design quadrado, preço maior que de competidores e bateria modesta
Preço: R$ 1.700 (sugerido)
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos