UOL Testa: Celulares

Moto G5S Plus traz câmera dupla por menor preço, mas tem falhas

Márcio Padrão

Do UOL, em São Paulo

No ano passado a câmera dupla virou moda entre as fabricantes de celulares. E neste ano a tendência continua. Das grandes fabricantes que atuam no Brasil, apenas a Sony ainda não tem um smartphone desse tipo. Apple, Samsung, Asus, LG e Motorola já embarcaram nessa moda com força total.

O Moto G5S Plus, porém, é um novo marco por ser o primeiro celular com câmera dupla no segmento intermediário "barato" (até R$ 1.500) a aportar por aqui. Já tivemos no gênero o Zenfone 3 Zoom, que está em uma faixa de preço mais alta, entre R$ 1.500 e R$ 2.000.

Ainda que seja um recurso que a gente sequer sabia que existia, agora querem nos convencer de que uma câmera com duas lentes será uma câmera melhor, seja para melhorar recursos existentes (o zoom ou o foco/desfoco no modo retrato, como no iPhone 7 Plus ou no Zenfone 3 Zoom) ou adicionar novos (troca de enquadramento do normal ao panorâmico, como no LG G6).

Márcio Padrão/UOL
Moto G5S Plus

A Motorola foi pelos dois caminhos com o Moto G5S Plus, pois melhora o foco e acrescenta duas gracinhas de edição de imagens. O resultado foi um modelo interessante para quem estava cansado do lugar comum do segmento intermediário. Ainda que esteja em um estágio pouco amadurecido de evolução, a câmera traseira dupla de 13 MP do modelo serve pelo menos para impressionar os amigos.

Márcio Padrão/UOL
Câmera dupla do Moto G5S Plus

Do foco artístico ao desastre de Photoshop

O software da câmera apresenta três efeitos no pós-processamento da imagem: foco seletivo, preto e branco seletivo e substituição do plano de fundo. São os mesmos efeitos do top de linha Moto Z2 Force, lançado no Brasil no mesmo dia do Moto G5S Plus. Para ter acesso aos três efeitos, o usuário precisa ativar a opção "sensor de profundidade" na câmera antes mesmo de tirar a foto. Após o clique, você pode editar a imagem colocando o efeito desejado e o grau de intensidade dele.

Provavelmente o recurso mais usado será mesmo o de foco seletivo, pois ele deixará suas fotos mais "artísticas". O desfoque de fundo é um recurso amplamente usado por fotógrafos profissionais para deixar a parte focada - seja seu rosto ou um objeto importante - mais em evidência. O grau de aproveitamento geral é bom, mas avisamos que, assim como no iPhone 7 Plus, no Moto G5S Plus o desfoque não é 100% perfeito em todas as situações, podendo pegar elementos ao redor do primeiro plano e "entender" como fundo, ou vice-versa.

Márcio Padrão/UOL
Foco seletivo do Moto G5S Plus; perceba que a região abaixo do braço do boneco fica em desacordo com o fundo

Esse problema fica pior ao usar o preto e branco seletivo ou a substituição do plano de fundo, recursos "beta" segundo a Motorola. Ao selecionar o primeiro plano para que o resto fique P&B, ou então recortar o objeto para incluí-lo em outro fundo, as falhas ficarão evidentes no recorte que o software realizará de forma automática. O resultado não raro ficará com uma cara amadora; não tente publicar na sua rede social ou você pode ir parar no Photoshop Disasters.

Márcio Padrão/UOL
P&B seletivo e substituição de fundo na câmera do Moto G5S Plus; programa faz recortes estranhos próximos ao objeto

Firulas à parte, você poderá gostar da câmera traseira no modo convencional. Como de costume na Motorola, ela vai te decepcionar de leve em situações muito adversas - no escuro ou com objetos velozes - mas com uma pequena ajuda no ajuste manual de exposição, você conseguirá imagens legais e acima da média no segmento intermediário. Nas cores, os tons amarelos são um pouco mais pálidos que a realidade, enquanto os verdes ficam mais realçados, mas é algo só perceptível se você prestar muita atenção nisso.

Márcio Padrão/UOL
Foto tirada com câmera traseira do Moto G5S Plus

Márcio Padrão/UOL
Foto tirada com câmera traseira do Moto G5S Plus

Márcio Padrão/UOL
Foto tirada com câmera traseira do Moto G5S Plus

Vale mencionar também o novo modo panorama presente também na câmera frontal de 8 MP. Na traseira, ela ganhou mais alcance e rende imagens em 360°. Na frontal, ele recomenda mover o celular em torno de seu eixo, em vez de movê-lo para os lados. Como de praxe em panoramas, você vai ter que tentar umas cinco vezes até obter algo minimamente decente, mas que bom que a opção está ali.

Márcio Padrão/UOL
Modo panorama da câmera traseira do Moto G5S Plus - imagem acima foi "recortada" em duas partes para ser mostrada aqui

Márcio Padrão/UOL
Modo panorama da câmera frontal do Moto G5S Plus

Moto G5 Plus atualizado

De resto, o Moto G5S Plus é nada menos do que uma atualização do Moto G5 Plus, lançado no começo do ano. Ele parece querer repetir o que deu certo no modelo anterior ou no restante da linha Motorola - corpo de metal, Android 7.1 quase puro - com pequenos acréscimos para os mais exigentes, como a câmera dupla, a tela um pouco maior - 5,5 polegadas - e mais memória RAM (de 2 GB para 3 GB aqui).

Mas há alguns detalhes negativos dignos de nota. Um deles é o fato de o modelo ainda trazer o antigo conector microUSB tipo B, em vez de adotar o tipo C, que pode ser usado dos dois lados e transmite dados mais rapidamente. Também seria melhor um processador mais novo - o Snapdragon 625 é bom, mas um pouco antigo e usado desde o Moto Z Play de 2016. Sentimos alguns travamentos e momentos de lentidão no teste, sobretudo ao usar as novidades da câmera dupla. Isso tende a piorar com o tempo de uso.

Uma questão de design/usabilidade bem ruim é o alto falante na parte de baixo do celular, que o torna facilmente "tapável" pela sua própria mão e abafa o som aberto --um problema não exclusivo desse modelo ou da Motorola, mas que incomoda. E o fino corpo de metal também levou a uma bateria relativamente pequena, de 3.000 mAh, que dura o dia todo ou talvez um dia e meio em uso moderado. Em uso pesado, com algumas horas na câmera ou games, em seis a oito horas de uso você vai precisar de uma tomada.

Márcio Padrão/UOL
Alto falante do Moto G5S Plus fica em posição desfavorável

Um produto apressado

Foi louvável a agilidade da Motorola em trazer uma novidade como câmera dupla para um modelo mais acessível, já que as lentes duplas só apareceram inicialmente em modelos que custavam acima de R$ 2.800, no ano passado. O Moto G5S Plus tem bom custo-benefício: sai por R$ 1.499 a prazo e na casa dos R$ 1.300 à vista - o mesmo preço do Moto G5 Plus no começo.

Por outro lado, essa estratégia praticamente "aposentou" o bom Moto G5 Plus - ele ainda está à venda, claro, mas mais barato, por R$ 1.199 - e resultou em um celular meio atual, meio antiquado, com algumas arestas a aparar. Hoje, o Moto G5S Plus é de fato um intermediário quase irresistível. Mas muito em breve, a concorrência ou a própria Motorola te trarão opções bem melhores, como o Moto X4 ou a linha Zenfone 4.

Ficha técnica: Moto G5S Plus

Tela: 5,5 polegadas Full HD
Sistema Operacional: Android 7.1
Processador: Snapdragon 625 octa-core de até 2 GHz
Memória: 32 GB de armazenamento (expansível até 128 GB) e 3 GB de RAM
Câmeras: Dupla de 13 MP (principal) e 8 MP (frontal)
Dimensões e peso: 153,5 x 76,15 x 8,04 mm e 170 gramas
Bateria: 3.000 mAh
Pontos positivos: corpo de metal, câmera dupla, Android quase puro, bom custo-benefício
Pontos negativos: processador antigo, pouca bateria, alto-falante em posição ruim
Preço: a partir de R$ 1.300 em lojas varejistas

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos